Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Nosso herói!








Zé Sinva não é exatamente o que podemos chamar de um homem corajoso e destemido, mas teve seu dia de herói e seus 15 minutos de fama.



Em uma das inúmeras farras maravilhosas que fizemos no antigo sítio da amiga Mira (uma figuraça maravilhoooooooosa!), em Abrantes, apareceu uma peste de um rato, que as más línguas teimaram que era um sariguê de tão grande que era o bicho. Foi uma correria só. Jô e Deta dispararam pra cima do balcão do bar da varanda, eu subi na murada que servia de banco, Clara pipocou nem sei pra onde...



A salvação veio de onde menos poderíamos esperar. Vassoura na mão, cheio de coragem, nosso super-herói Zé Sinva parte pra cima do monstro, quer dizer do rato, deixando a tchurma ainda mais assustada. E não é que O CARA conseguiu dar uma vassourada no bicho, que ficou esticadinho no chão?



O mais engraçado foi que depois de se fingir de morto por instantes, como um ator global, o diabo do rato saiu correndo e Zé Sinva atrás. Só parou quando nocauteou de vez o miserável.



Além de conquistar o direito de dormir na única cama que tinha mosquiteiro, nosso herói acordou no dia seguinte com um café 5 estrelas, na cama, e gritinhos de "meu herói".

















11 comentários:

deta disse...

Moniqueta,
Seu acervo realmente é demais. Vc só não registrou Beto (Boca de Lata), que tb subiu no balcão.
A bunda pra cima é da dona do blog. Passou pela censura!?
Me acabei de rir. Grandes recordações.
E Jadson que tocou fogo nos guardanapos do aniversário de Clarinha pq queria mais um pedaço do bolo.
Bjs, Deta

Joana D'Arck disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk .,.. Essa é de matar de rir moniqueta. Você contou muito bem essa história inesquecível e divertidíssima! Bom tempos...

Joana D'Arck disse...

Deta, não precisava entregar tanto, mas aqui no Pilha não tem censura. Boca de Lata não aparece porque estava fazendo as fotos (hehehehehehehe)... mas que ele morreu de medo, isso foi mesmo (rss).Já o acesso de ira de Jadson, também inesquecível, foi uma outra história hilária kkkkkkk.

Mônica Bichara disse...

Bem lembrado, Deta. Essa de Jadson foi das melhores: o cara virou uma arara p/q eu guardei o último pedaço de bolo pra minha comadre (ainda era só uma promessa) Marina e saiu queimando tudo. A parede da varanda ficou chamuscada e deu trabalho pra limpar.
Voltando ao rato, vocês são testemunha que o bicho se fingiu de morto. Lembram? Parece até história de pescador, mas que o danado saiu correndo depois de ficar esticadinho, é fato.

Carmela disse...

Essa é muito boa mesmo. A foto de Zé Sinva em posição de ataque é de morrer de rir, parece até Indiana Jones.

Arapinga disse...

Numa dessas aí, Joana e Monica aproveitando-se da nossa inocência e boa fé, confeccionaram uma moqueca de camarão, na qual os camarões foram substituídos por cenouras, cuidadosamente esculpidas no formato daquele bicho marinho. Como não dispúnhamos no momento de todas as faculdades mentais, elogiamos a iguaria baiana.

Mônica Bichara disse...

Foi mesmo, Araka! kkkkkkkkkkkk não lembrava mais disso. Receita de Isabel pra enganar os meninos e terminou enganando os bebum kkkkkkkkkkk Todo castigo pra bebum é pouco.

Joana D'Arck disse...

Eu até tinha me esquecido dessa moqueca de camarão falsa kkkkkkkk... Deu o maior trabalho, mas a gente enganou os bebum kkkkkkkkkkkkkk...

deta disse...

Enganou, e Joaninha ficou expert no assunto.
Tou aqui curtindo um frio da porra, e morrendo de saudade.
Bj, Deta

Emilson disse...

O Rambo da Caatinga!
Essa é demais!!!! o Magro dando uma de exterminador de rato tá pra lá de cômico. Devia estar com umas 300 no juízo, se é que tem.

Mônica Bichara disse...

Rambo da Caatinga, Indiana Jones....kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Esse Zé Sinva tá que tá. E o cara é tão metido que nem se dignou aparecer por aqui pra agradecer a fama repentina. Já tem programa de TV querendo entrevistar o grande herói tupiniquim e por isso ele tá se achando.
Agora Emilson foi na ferida: 300 no que resta de Tico e Teco era pouco. O valentão tinha entornado todas, ou não estaria nessa disposição toda.
Cadê vc, Indiana da Caatinga?

Arquivo do blog