Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

terça-feira, 28 de julho de 2009

Uma dupla do barulho




Carmela Talento




Arakem e Irecê quando estavam juntos protagonizavam episódios dos mais bizarros, alguns incorporados ao folclore do jornalismo, que são contados e recontados nas mesas dos bares. Difícil um amigo da dupla que não se lembre de um caso. Eu, que convivi com Irecê durante quase 10 anos, tenho vários.

Um domingo desses Arakem apareceu no Rio Vermelho e saímos os três para tomar uma cerveja na Vila Matos, que fica a uns 300 metros de distância de minha casa. Essa cerveja se multiplicou por várias e quando deixamos o bar já passava das 15 horas.

Voltamos andando pela rua quase deserta de domingo à tarde. Em um dado momento Irecê resolveu tirar satisfação de um cachorro que latia muito do outro lado de um muro. O bicho, não sei como, deu um pulo e pegou o braço dele de raspão, por pouco não tomou uma baita de uma mordida.

Fui me aproximando para ver o tamanho do estrago quando Arakem, que vinha um pouco mais atrás, ao perceber a agressão sofrida pelo amigo, pegou um casco de coco que estava no chão, mirou em direção do cachorro e começou a gritar: RG e CPF, RG e CPF. Nessa hora tive uma crise de riso que não conseguia parar. A dona da casa, que certamente estava tirando um cochilo, quando ouviu a barulheira saiu meio assustada para tomar pé da situação e se deparou com Arakem exigindo aos berros RG e CPF do cachorro. Sem entender nada, voltou para dentro de casa. Achou melhor não se meter na molequeira.

7 comentários:

deta disse...

Carmelita, vc nos deu uma mistura de emoções. Essa fez a gente rir e chorar. A lembrança do inesquecível José Irecê, esse rapaz que está sempre presente, junto com a molecagem de Arapinga.
Beijo grande, Deta.

Mônica Bichara disse...

Essa dupla era imbatível. Nós éramos meros figurantes. Faço idéia do escândalo que fizeram e vc morrendo de vergonha. Afinal, Araka: o cachorro apresentou RG e CPF?

Concordo com deta, o que dá pra rir dá pra chorar

Joana D'Arck disse...

Essa história é hilária mesmo!Essa dupla aprontava além da imaginação kkkkkkkkkkk
Carmela, sem esquecer os méritos dos demais colaboradores, quando você nos brinda com as suas história esse Pilha bomba. Uma delícia.

pcs disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manuela Dourado disse...

Quanta saudade! Adorei a foto, me fez lembrar de várias poses de meu tio José.

Beijo Carmela.

Mônica Bichara disse...

Manu, essa foto foi tirada no Carnaval de Porto Seguro, atrás do Jegue Elétrico. O que esta criatura aprontou vc não faz nem idéia. Eu e Luciana (minha afilhada) nos divertimos - e pagamos muitos micos também.
A saudade é imensa, mesmo, mas vamos lembrar dele assim, aprontando todas e com o copinho em uma mão e o cigarro na outra (infalíveis). E no compasso "é devagar, é devagar, é devagar, é devagar, devagarinho...."
E a boquinha "mamãe quero ser Armandinho" de Araka? Um dia vc chega lá, bebumpinga kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Julio Cesar Almeida disse...

Blz a história sobre o Ireça!!
Lembro uma certa vez,que fomos fazer uma materia para o SBT pela Tv Itapoan.Materia sobre sêca,e lá fomos nós para a Cidade de Ireçê,com a plantação de feijão quase perdida.Quando descmos do carro para fazer as primeiras imagens...,caiu o maior aguaceiro!E bem na nossa frente vinnha um enterro,as pessoas pisavam nas poças d'gua com alegria.Então Irêça disse o seguinte."Alegria com a chegada da chuva contrasta com a despedida na morte."A materia encerrou o jornal da noite do SBT e foi muito elogiada.Lembro que ele gostou de uma imagem que fiz,do reflexo das pessoas carregando o caixão refletida em uma poça d'gua.Nesse dia durante o jantar,fizemos uma boa farra.

Arquivo do blog