Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

domingo, 16 de agosto de 2009

Casamento em apnéia


A amiga e colega Bárbara Affonso nos conta uma experiência bem típica das mulheres. Afinal quem de nós nunca sofreu com um sapato apertadíssimo numa festa, mas aguentando firme para não descer do salto? Mulher que é mulher resiste a tudo, mas não perde o charme jamaaaaaais! Veja o relato da nossa heroína (queridos amigos do blog, nem venham pra cá reclamando que o Pilha tá muito cheio de frescura e aproveitem para conhecer melhor a alma das companhias que vocês mais gostam, suponho):



"Ir a uma festa com traje de gala não é o meu forte. Primeiro, porque não consigo ficar de pé usando salto alto por mais de duas horas. Segundo, porque não compro trajes passeio-completo periodicamente, de acordo com minha variação, digamos, estrutural.


Há cerca de um ano, em um passeio pelas ruas de Sampa, resolvi comprar um vestido lindo, chiquérrimo, de princesa, para usar no próximo evento de gala para o qual fosse convidada. Era verão, eu tinha acabado de sair de uma gripe que me levou 2kg e tinha tempo para malhar por um turno inteiro. O vestido número 38 ficou folgado e resolvi ajustar ao meu diâmetro. Ficou lindo, um arraso!


Arrasada fiquei eu com 3kg a mais e sem roupa para usar no casamento cujo convite foi feito há duas semanas. Passei dias pensando no traje completo: vestido, sapatos, bolsa combinando com a cor do esmalte, maquiagem, enfeite de cabelo. No meio da semana do evento, tirei o vestido do cabide, coloquei na cama junto aos outros ítens: um charme, meu traje! Vou linda para a festa! Só experimentar.


(...)


Merda! Corre para a academia, meia hora de esteira, abdominais, uma hora de boxe, outra hora de musculação, abdominais. Mamão de manhã, salada meio-dia, salada à noite. Chá verde, chá de cidreira, chá de maçã.


Véspera do casamento, antes de dormir: um quilo a menos. Êbá, o vestido vai fechar e vou linda para a festa, digna do bouquet! (...) Opa. Calma! Solta o ar, solta o ar! (...) Pqp. (...) Fechou. Mas, quem respira? Não vou comprar outro vestido, não tenho outra roupa de princesa e eu quero ir com essa! Já planejei, já me vejo com ela, vai ser ela.


E lá vou eu, poderosa, respirando superficialmente e rezando para não rasgar o zíper no meio da igreja. E pra não fazer calor, meu Deus. Não quero nem imaginar a briga entre o vestido e o suór. Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço, não é isso? Que vença, então, a minha roupa. Vou pra debaixo do ventilador e tá tudo certo.


- Vinho?- Não, obrigada.

- Champagne?- Não, não. (sorrisinho amarelo)

- Cerveja, Whisky?- Não estou bebendo. Nem água.

- Camarão?- Alérgica. - Nem uma saladinha?- Sem fome, obrigada.

- Você é sempre quietinha assim?- É... Acho que sou.


Casamento em apnéia. Vantagem: ir linda pra festa. Incômodos: nada de comida, nada de bebida, nem pensar em fazer movimentos expansivos. Se o bicho pegar, direto ao banheiro, abrir o zíper e dar aquele suspiro profundo para se sentir viva e ganhar forças para o resto da noite. Depois, é só soltar o ar e voltar à luta. Mulher que é mulher não se importa com detalhes".

2 comentários:

Manuela disse...

Estou admirada com a nossa colega de sacrifícios (as garotas sabem do que estou falando)e sua novela épica para ficar e se sentir linda na festa de casamento. Eh engraçado porque imaginei tudinho, do começo ao fim como se fosse eu. E ate fiquei sem ar e imaginei o ziper quase "pocando". kkkkkkkk
Já tive bolhas nos pés e continuei sorrindo, durex para uma bainha de ultima hora...um chale por volta da cintura para esconder q a calca tava muito apertada depois de ganhar uns quilinhos, 28 clips de cabelo (uma grega que fez meu cabelo pro meu casamento e que tive que tirar um por um e lavar o cabelo 30 min antes de sair para o cartório) -essa, alias eh uma para contar aqui com detalhes e fotos, Jojo! - e muito mais...
Mais uma heroína da feminilidade que somos todas nos.
E eles não sabem eh da missa o terço. kkkkkkkkkkkkkk bjssssssssssss
PS: Fiz a auto gramática e ortografia mas algumas palavras ainda vão sem acento pq vc sabe computador de gringo eh ruim, viu!

Joana D'Arck disse...

É mesmo Manu. A gente fica com a sensação de estar vivenciando a cena.Sabemos dos sacrifícios que somos capazes para manter a linha. E pode enviar o texto e as fotos do seu casório que a gente publica aqui.Aliás, Mônica antecipou a cerimônia aqui no Brasil kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Cê viu?Quero ver a sua versão e como foi aí em Londres.

Arquivo do blog