MINHA TCHONGA

O Camping de Berlinque era um dos nossos passeios preferidos. E Irepinga sempre aparecia por lá com suas aprontações. Mas o melhor mesmo era o barzinho, onde a mesinha de sinuca tinha um imã que não deixava ninguém sair da área. O rapaz que atendia, um adolescente (esqueci o nome da criatura), morria de amores por Irecê, que pra tudo respondia "minha tchonga". Um dia o menino estranhou a ausência do ídolo, que devia estar tomando todas em algum outro canto por lá, e sapecou: "Ué! Cadê minha tchonga?". Ninguém se aguentou e desse dia em diante o pobre passou a ser chamado de "minha tchonga"







Nas fotos: Hugo jogando comigo e Zé Sinva; Clara, Iracema, eu e Délio; Délio trepando no coqueiro pra enganar a galera; eu, Pinga (com a inseparável estrela do PT) e pescadores

Comentários

Carmela disse…
Lembro bem desse período. kkkkkk
Joana D'Arck disse…
êita tempo bom! E clara, ainda criancinha nessa barca nossa, hein? De Berlinke tempos muitos o que contar.Lembra da rã que me deu um susto na Pousada e eu me estabaquei no chão depois de tropeçar no batente da porta?
Joana D'Arck disse…
E essa pilha de Délio subindo no coqueiro? kkkkkkkkkk
Mônica Bichara disse…
Essa da rã merece uma postagem bem inspirada. Foi hilária.
Carmelinha, e os banhos gelados no Sonrisal?