Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Uma versão mais do que original


Carmela Talento


Uma das coisas que mais divertia Zé Rodrigues, nosso Irecê, era contar as confusões que segundo ele, Quezinha a irmã (foto), fazia (e ainda deve continuar fazendo) com as letras das músicas. Uma delas, Boneca de Trapo repetia tanto que acabei aprendendo as duas versões. A original, composição de Nelson Gonçalves, na primeira estrofe diz o seguinte: “Boneca de trapo, pedaço da vida, que vive perdida no mundo a rolar/ Farrapo de gente, que inconsciente peca só por prazer/ vive para pecar”


Na tradução da irmã:

“Boneca de prato/ pedaço de zinco, que vive rolando no mundo a cantar/ trapo de gente/que vive contente/ só por prazer de me encomendar”.


Se fato ou versão só Quezinha pode dizer, mas uma coisa posso garantir, de música Zé entendia bastante e sabia praticamente as letras de quase todas.


Em homenagem aos dois segue a integra de “Boneca de Trapo”:


“Boneca de trapo, pedaço da vidaque vive perdida no mundo a rolar
Farrapo de gente, que inconscientepeca só por prazer, vive para pecar
Boneca eu te quero, com todo pecado
Com todos os vícios, com tudo afinal.
Eu quero esse corpo que a plebe deseja, embora ele seja prenuncio do mal
Boneca noturna que gosta da lua
Que é fã das estrelas, que adora o luar
Que sai pela noite, amanhece na rua
E há muito não sabe o que é luz solar
Boneca vadia, de manha e artifícios
Eu quero pra mim seu amor só porque
Aceito seus erros, pecados e vícios.
Hoje na minha vida meu vicio é você”


Mais sobre versões de músicas em canta-canta-minha-gente

Um comentário:

Manuela Dourado disse...

Realmente, meu tio entendia de música. Fazia questão que não errássemos as letras e, principalmente, os nomes dos compositores, mas com Quesinha não tinha jeito. Até hoje cantarola várias músicas em versões que só ela conhece, ou melhor, ela , meu tio e a Carmela rssrsrsrs

Arquivo do blog