Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

domingo, 31 de janeiro de 2010

O filho de Délio

O compadre Délio, muito conhecido aqui no Pp, está dando um duro danado nesse verão para aguentar o apetite do filhote que veio passar uns tempos com ele. Olha só o prato de "Huguinho" .

Cuíca de Santo Amaro

por Josias Pires




Um filme de estranhamento, reconhecimento e transformação.



A comunicação social é tema tão relevante no Brasil quanto a reforma agrária e a justiça social. O personagem deste filme é um comunicador popular, um poeta de rua, um propagandista que põe o dedo da ferida no campo da comunicação e expõe a hipocrisia dos que pousam de vestais em público e são venais na vida privada.



Para começo de conversa, é irrelevante o andar dizendo que Cuíca de Santo Amaro não merece ser personagem de livros e filmes. Quanta maldade com a memória de um dos mais instigantes trovadores da Bahia. Cuíca merece e tem o direito de ter a sua memória registrada como nós temos o direito de fazer este trabalho e o público tem o direito de conhecer essa história.
Mais...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Quem diria ?!




Andréa Steele flagrada por Mocofaia aprendendo patins aos 48. A convivência com Dona Fátima deu novos ares, abriu horizontes para a guria, um pouco mais cheinha nas entradas de 2010. Ai nas fotos uma amostra da performance da veccia senõra, para deleite dos presentes. Ela promete que até o final do ano se apresenta no gelo, Shopping Paralela. Estaremos lá para este fato histórico.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Nova pilheira salva as férias

Apesar das férias da maioria dos pilheiros, o Pp está sempre surpreendendo. Agora lança uma nova colaboradora  que há muito esperávamos a adesão . Jaciara Santos, dona do blog´"A Queima Roupa- jornalismo com segurança" e vítma preferencial das histórias infâmes de Paulo Mocofaia , começou a reforçar o nosso time nessa semana .
Bem vinda Jaci! Bota pilha aqui  que a gente gosta!


Aproveitei a primeira semana de férias para
curtir a Cidade Maravilhosa


A banda Boca Maldita nos recepcionou
com uma canja em Copacabana




O primo Soares


Essa família Soares tem de tudo. E muito. Por todo lugar que Zé Sinva vai tem que encontrar um parente. Pois não é que ele foi encontrar outro primo em pleno Rio de Janeiro?  A mãe desse é de Piatã, a cidade baiana da Chapada Diamantina onde os Soares se multiplicaram ( e como!), mas esse aí tem pai do Ceará e nasceu por lá.  E nem precisava dizer, porque a cara não nega.

Valeu Cícero! Grande Soares que atende como garçon no Boteco Cevada, nas imediações da Siqueira Campos- Copacabana.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Lavando a Alma

A Lavagem começou cedo, com minhas ligações para Mané Porto e Araken. E foi o velho Araka quem concordou em passar no meu barraco para irmos juntos. Ele e o seu genro, o garoto Ricardo, batizado por mim e pela baiana, que toucou-lhe água-de-cheiro na cabeça, embora sob os protesto de Araka, para quem aquele tipo de água é proveniente do Dique do Tororó. Pois bem: chegamos à Conceição, não antes sem pegar Quezinha de Miranda, na descida da Contorno. Mas Quezinha se perdeu logo, na entrada da Miguel Calmon. Logo,logo encontramos Alberto Boca e Mané Porto. E tome-lhe andar em dirção à Colina. Para aqui, para alí e eu cumprindo minha promessa de só beber alcool depois que rezasse.

No Largo dos Mares a bela Márcia e uma amiga juntaram-se a nós. E para alí, e para aqui e chegamos à Colina. Oxalá abra os caminhos desses meninos, meu Pai. E rezamos, rezamos. Até Araken rezou. E ouvimos coisa: "Maconha, sim; Cocaína, não", bradava um devoto. Missa terminada, banho de cheiro tomado, fomos em direção ao topo Sagrado. Depois de uma tentativa frustrada de acender um no Belvedere ficamos alí, na Esquina da Malhação. Foi pura diversão. Amigos vários passando e parando. Outros só passando, como o GOV, o pilantra Gedelício (que ouviu, novamente, o que não queria. Ou queria), Grampinho - logo depois de ser arrancado de um carro por alguns demoníacos foi devidamente vaiado pela galerinha.

E tome Skol e tome fumaça, e tome barulho nosouvido, que depois que tiraram as barraquinhas de madeira o que se ouve (?) é um zum-zum-zuum dos inferno. E aquela festa toda, todo mundo é igual (uns mais que outros), todo mundo é legal (uns bem mais que outros) e lá fomos nós, em direção ao Estaleiro pegar a embarcação que nos levaria a um aprazível paseio pela BTS, até o Porto da Barra, onde a trupe desembarcou rumo ao Red River. Bom, já chega, para quem está resenhando uma coisa que já aconteceu. Mesmo assim, valeu. Até a próxima Lavagem. Ah, ia esquecendo. Encontrei Protógenes vestido com uma camisa, idéia minha: Lavagem Só a do Bomfim. Com certeza, com cerveja.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Ordinário (a), marche!

Tudo bem que o major Silvio Correia, presidente da Força Invicta (a associação dos oficiais da PMBA) pegou pesadíssimo ao chamar de "vagabunda" a colega (lá dele!) Anamara Barreiro, a soldado BBBoa, mas que a moça tá precisando de um chega pra lá, isso tá! Afinal, ela pode fazer o que quiser da própria vida, tem todo o direito de falar abobrinhas e abobrões... agora, usar de forma grotesca a imagem de uma instituição centenária como a Polícia Militar para se promover, pega mal. Muito mal, mesmo.

Mas, de todo o modo, essa é uma história com começo, meio e fim bem previsíveis: a moça vai gozar (ops!) de seus pouco mais de 15 minutos de fama, deve faturar uma graninha, vai bombar na internet e depois voltar ao anonimato. É só ter paciência e não perder as estribeiras como o major Correia. Até porque, a fama de celebridades desse tipo não costuma durar mais que uma estação. Quanto aos muito incomodados, que se mudem ou desliguem a TV.

aqui vale a pena ver de novo

Assim como os famosos que repetem os melhores trabalhos durante as férias, a nossa "pilhinha" Ana Carolina marcou o blog logo na estréia :Exposição de Rodin

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Aqui vale a pena ver de novo





Assim como Serginho Groisman, Jô Soares, Mônica Bichara, Borega e outros famosos que repetem seus melhores trabalhos durante as férias, o Pp relembra aqui a postagem  inesquecível de Arapinga. Veja InJustiça

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Aqui vale a pena ver de novo

Assim como Serginho Groisman, Jô Soares, Mônica Bichara e outros famosos que repetem seus melhores trabalhos durante as férias, o Pp relembra aqui a inesquecível chage de Borega. O pai de Nana










domingo, 17 de janeiro de 2010

Siri sarado de Itapoã

AQUI VALE A PENA VER DE NOVO

Alérgico a crustáceos, nosso amigo Léo – o dono da mochila mágica, como bem disse Paulo Bina, conheceu e conversou com um siri discípulo de Araken na feirinha de Itapoã.




video

(Postagem a pedido de Borega)

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Os cunhados da patroa


VALE A PENA  VER DE NOVO

Não mandei você me dar corda, Joaninha. Mas uma foto dessas eu não podia deixar de compartilhar com os leitores do Pilha Pura. Kilda e Délio, os cunhados da dona do blog, os orgulhos da família pela beleza e romantismo.

Na final Brasil X Alemanha, na Copa do Mundo, Ká (a mesma vó da Xuxa) não pensou duas vezes e escapoliu da casa de Deta para o bar de David (o reduto de Jadson e Sinval) de fio dental, com balões coloridos na cabeça e em uma das bandas do traseiro escrito "O Brasil é penta". Na outra, "a Alemanha se fudeu". Êta família que dá história!

Maison Jojô

VALE A PENA VER DE NOVO


Gente, sei que vou me arriscar a perder o emprego dos meus sonhos, de colaboradora (âncora) do Pilha Pura, mas não resisto.

Quando Liz nasceu (ela está com 10 anos), JÔ, a dinda, tava desiludida do jornalismo e pensou em enveredar pelo mesmo ramo das irmãs, de salão de beleza. Ganhou um curso "de grátis" na escola de cabeleireiro de Taninha e tava toda se achando. Só andava de tesoura na mão e quem passasse pela frente virava cobaia. Um dia fui passar a tarde na casa dela com Liz recém-nascida e não consegui escapar.

- "Vamos fazer luzes, vai ficar lindo", atentou.

- Tudo bem, Jô, mas se ficar muito claro eu te capo.

Eu morria de medo de ficar oxigenada e tanto azucrinei o juízo da foca de salão que ela usou só um pouco de tinta. Aí chega a louca da Kilda, nossa cunhada desprovida de qualquer juízo, e resolve aproveitar o resto de tinta. Joana chega babava de alegria. Uma cobaia se oferecendo, era tudo o que ela queria.

Só que conversa vai-conversa vem, conversa vai-conversa vem....e as duas esqueceram da vida. Quando Jô lembrou deu um grito: "corre Kilda que já passou da hora". A cabeça da pobre tava parecendo não sei nem o que, amarelo ouro era pouco. A aprendiz de cabeleireiro não sabia se ria da desgraça dos outros ou se chorava da sua própria, pois acabava de desistir da nova profissão. Pior é que a criatura viajava no dia seguinte pra Rondônia e Jô ainda tinha uma formatura pra ir. Uma irmã conseguiu uma tintura pra amenizar o miserê, mas não adiantou muita coisa. O apelido de "vovó da Xuxa" acompanhou ela até o aeroporto.

Nem Sinval escapou dessa fase e uma vez ficou com o cabelo pior que o amigo "bunda de macaco". Parecia um atlas, com um pedaço de cada cor.

Agente Bertolino

VALE A PENA VER DE NOVO


Mais uma de José: o ano eu não lembro, mas era um desses encontros nacionais de assessoria de imprensa, em Brasília. Numa folga da programação resolvemos dar uma volta pra conhecer o Congresso Nacional. Só que o chefe da segurança resolveu barrar nosso tour e não nos deixou atravessar uma ala que nos levaria ao outro lado do prédio. Alberto, mais diplomata, se limitou a perguntar o nome do distinto:

- Agente Bertolino (respondeu)

- Bonito nome (ironizou Beto)

José, que de diplomata não tinha nada, saiu provocando:

- Bom fila-da- puta!

O "homi" ouviu e partiu pra cima dele uma fera, agarrou pelo colarinho e chamou reforço. O pobre do Zé amarelou, levantou os braços e pediu penico:

- Retiro tudo que eu disse! Eu sou jornalista...

- Grande coisa, eu também tenho carteira de jornalista (humilhou)

Duro foi controlar a gargalhada depois disso, apesar da cara de Irepinga (parecia cachorro que deu pum na igreja, como diz Jô). Eu, Carmela, Beto, Wilson e outros que não lembro agora demos muita risada com essa história. Juramos não contar a ninguém, mas claro que os dedos estavam cruzados. Quem ia resistir de contar isso pra Araka? Foi o bastante. O primeiro a saber foi Xando, que passou a chamar Irecê de Agente Bertolino. O pior pra ele, acho que foi justamente ter que aguentar essa gozação.

Agente Bertolino é foda!

O dia em que Bin Laden mandou invadir a praia de Ipitanga

VALE A PENA VER DE NOVO


Domingo, dia 26 de abril, com cara de verão e praia cheia. Mas alguma coisa estava estranha lá para as bandas de Ipitanga, em Lauro de Freitas. Banhistas aproveitavam o dia de sol na barraca Ó paí, ó. De repente, surge na areia uma tropa enviada por Bin Laden assustando todo mundo. As crianças correram para junto dos pais, os ambulantes (dezenas deles) partiram em disparada, as baianas de acarajé evaporaram... foi um Deus-nos-acuda. As criaturas pareciam xerox, mas um destoava pela indumentária. Parecia saído de um filme dos anos 40, de calça, sapato social, meia... só faltou o paletó e a gravata. Um engraçadinho de plantão (sempre tem um) logo gritou: "Corre gente, são terroristas enviados por Bin Laden, primos de Lin Raben". Só o garçom, Marcelo, se alegrou com a estranha invasão e correu para saudar os forasteiros já com 5 copos e uma garrafa de cerveja (o 5º copo era o dele, claro).

O harém de Jason

VALE A PENA VER DE NOVO


Atendendo a apelos dos nossos assíduos visitantes internacionais, vou contar mais um causo documentado da minha Soares predileta.

Em junho de 2006, um bombeiro londrino chamado Jason veio conhecer Salvador e a família da sua noiva baiana, Manuela. Não imaginava que ao chegar se encantaria com a beleza de outra baiana, que por ironia do destino era tia de sua noiva. Ele bem que tentou resistir, mas era impossível. A danada era mesmo irresistível. E o pobre do Jason não teve saída. A paixão foi tanta que em pouco tempo Kilda tava embuxada e teve que casar. Sorte dele que a noivinha era dessas moças modernosas e aceitou a proposta de dividir o bombeirão com a titia, apesar dos protestos da mãe, Deta, e do padrasto, Jadson (que entornou todas no bar de David pra aceitar a situação. "Vá pá porra!", repetiu milhares de vezes com o dedo no nariz do bombeiro. Evidentemente!".
O casamento foi realizado na casa de outra tia de Manuela, Ana Maria, no Conde, com direito até a daminhas de honra (honra? kkkkkkkkkk). A barriga de Kilda tava tão grande que por pouco Renatinha não nascia ali mesmo e o padre já batizava. Jason, já totalmente adaptado à sacanagem baiana, teve que passar toda a cerimônia aparando o barrigão pro bebê não cair. Mas sua felicidade era inquestionável. Os três vivem até hoje em harmonia. A foto taí pra não me deixar mentir.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Tempo irreal: do Bonfim ao Dois de Julho

Talvez aperreado com a indefinição da política baiana, o repórter do site Bahia Notícias se adiantou e já está no cortejo do Dois de Julho. A fila anda, Joaninha! Cuidado com o "tempo real"!

Bonfim em tempo real

A pé ou de carroça, a lavagem do Bonfim é só alegria . Deu até para conquistar um momento de fama na televisão. O preço para tanto foi o banho de água de cheiro que a baiana despejou na minha cabeça para se exibir para o repórter e quase me e cega os olhos de tanto ardor. Mas no final tudo foi festa mesmo, com muita água e alegria.
 Valeu!  

Hoje é o Bonfim!


Pronta para acompanhar o cortejo das baianas da Conceição da Praia até a Colina Sagrada.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Tudo igual


Isso é que é cachorro treinado


Isso é que é genética (irmãos Soares)
Isso é a moda Lulete!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Enfeitado como “lapinha de mulher-dama”

Jadson Oliveira



De Seabra (Bahia) - Cheguei em Seabra, minha terra na bela Chapada Diamantina, na Bahia, e quase volto em cima do rastro. O bar de Eudaldo estava fechado. Não é possível, pensei, depois de chegar em Salvador, vindo da Bolívia, e encontrar o bar de David fechado, não vou agüentar uma segunda decepção desse tipo.

Eram umas 4:30 horas da tarde da sexta-feira, dia 8. Olhei pros lados da rodoviária, porra, vou embora. Em seguida, me refiz um pouco do duro golpe, e fui tomar uma num bar próximo. Uma meia hora depois, o coração em sobressalto, espiei, o bar de Eudaldo, numa esquina da praça mais central da cidade, estava aberto. Que alívio!

O velho Eudaldo, loquaz e cheio de belacho como sempre, estava lá firme e forte, graças a Deus. Me serviu uma cachacinha da Zabelê, com raiz de oliveira, uma belezura.

E me apresentou seu Opala 82, Comodoro, placa 2679, todo nos trinques, iluminado e enfeitado feito “lapinha de mulher-dama”, como ele próprio diz. “Querida cheguei”, anuncia no para-choque dianteiro. No traseiro: “Não chore não que eu venho te buscar”.

Me lembrei que uma vez cheguei em Seabra com um Fusquinha, aquele bege que ficou comigo 15 anos, aquele que vendi batido e comprei depois de reformado. Eudaldo me disse: “Mas Jadson, toma vergonha, Fusca é carro de corno. Carro de homem é Opala”. Pois é, dito e feito!

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Baiano inveja ilhados pela neve




Dos transtornos provocados pelo inverno rigoroso na Europa, o mais rigoroso da Era, um fato divulgado na imprensa encantou Zé Sinva: um grupo de 30 pessoas que se encontrava em um pub (bar britânico) em North Yorkshire, uma das regiões mais afetadas pela neve na Inglaterra, ficou ilhado por três dias dentro do estabelecimento.

O "feriado prolongado" depois do reveillon só terminou depois que a neve parou, e tratores e caminhões de gelo retiraram o gelo das estradas da região.


Morto de inveja dos “sortudos”, Zé Sinva já planeja uma produção de gelo artificial para isolar o Bar de Bahia, no Rio Vermelho (com ele dentro, claro).

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

O político e o bêbado

Um político que estava em plena campanha chegou a uma cidadezinha, subiu em um caixote e começou seu discurso:

- Compatriotas, companheiros, amigos! Nos encontramos aqui convocados, reunidos ou ajuntados para debater, tratar ou discutir um tópico, tema ou assunto, o qual é transcendente, importante ou de vida ou morte. O tópico, tema ou assunto que hoje nos convoca, reúne ou ajunta, é minha postulação, aspiração ou candidatura à Prefeitura deste Município.

De repente, uma pessoa do público pergunta:

- Escute aqui, por que o senhor utiliza sempre três palavras para dizer a mesma coisa?

O candidato responde:

- Pois veja, meu senhor: A primeira palavra é para pessoas com nível cultural muito alto, como poetas, escritores, filósofos etc. A segunda é para pessoas com um nível cultural médio como o senhor e a maioria dos que estão aqui. E a terceira palavra é para pessoas que têm um nível cultural muito baixo, pelo chão, digamos, como aquele bêbado ali jogado na esquina.

De imediato, o bêbado se levanta cambaleando e responde:

- Senhor postulante, aspirante ou candidato! (hic) O fato, circunstância ou razão de que me encontre (hic) em um estado etílico, bêbado ou mamado (hic) não implica, significa, ou quer dizer que meu nível (hic) cultural seja ínfimo, baixo ou ralé. E com todo o respeito, estima ou carinho que o Sr. merece (hic) pode ir agrupando, reunindo ou ajuntando, seus pertences, coisas ou bagulhos (hic) e encaminhar-se, dirigir-se ou ir diretinho (hic) à leviana da sua genitora, à mundana de sua mãe biológica ou à puta que o pariu!
 
Nota: recebi o o texto acima por e-email. sem autoria.
http://www.youtube.com/watch?v=wJRD3nPR7RY


"Que merda: dois lixeiros desejando felicidades do alto da suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho." A frase é do âncora do "Jornal da Band", Boris Casoy. Vazou acidentalmente.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010




Pra lá de infâme

O assunto é sério e envolve caso recente que comoveu a todos e teve repercussão nacional. Mas o que vou contar aqui é outra coisa que tem a ver com o velho ditado “de médico e louco, todo mundo tem um pouco”. Este dizer popular cai como uma luva para o perfil do professor Marcone, ou "Professor Pardal", amigão nosso e cliente vezeiro do Bar de David, onde Jadson também é vezeiro.








"Abandonados" e simpatizantes de David na "Caminhada da Colina Profana à Colina Sagrada", realizada todo ano, saindo bar até o Bonfim. Abaixo, de óculos escuros, o prório David curtindo outro bar.





Mesmo na ausência do dono do Bar, que se recupera de uma cirurgia (volte logo David!), os “abandonados” continuam frequentando o espaço, embora comprando a bebida no bar ao lado. No sábado passado, a discussão deles era sobre o caso do menino das agulhas,que passou por cirurgias para a retirada de 20 das 40 introduzidas pelo padastro louco.

E o professor Marcone, nosso “doutor”, saiu com essa:

-Esses médicos são burros, ficam perdendo tempo com cirurgias. Era só vestir o menino com um casaco de imã e pronto. Estava tudo resolvido.

É infâme? É.

Perco o amigo, mas não perco a piada.

domingo, 3 de janeiro de 2010

sábado, 2 de janeiro de 2010

"Vem chegando o verão, o calor no coração...


...essa magia co-lo-ri-da..."

Os pilheiros deram uma desacelarada nas postagens, ocupados demais com outras coisas de verão da Bahia. Inclusive Jadson, que chegou da Bolívia tossindo parecendo cachorro velho, já se recuperou, como disse aqui em comentário, e promete que agora vai curtir o que a Bahia tem, acredite (rsrs).

Arquivo do blog