Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Moema desceu do salto e defendeu os barraqueiros






















O dia hoje foi de tensão aqui em Ipitanga, com os barraqueiros deitando no chão, queimando pneus, interditando a pista da praia...na tentativa de impedir a aproximação dos tratores para demolir as barracas. Na frente da resistência a pequena/grande prefeita Moema Gramacho, que chorou emocionada: "A prefeitura de Salvador nunca colocou R$1 aqui em Ipitanga e agora quer demolir um patrimônio que é nosso".






Com seu inconfundível salto alto, ela desceu na areia e foi negociar com o pelotão da PF que se aproximava trazendo os tratores. Conseguiu convecer o delegado de suspender a demolição no trecho, pelo menos por hoje. Um tempo necessário para tentar uma ação cautelar no TRF ou mesmo para que os barraqueiros retirassem os pertences, amenizando o prejuízo. Vereadores de Salvador e Lauro de Freitas tb apoiaram a manifestação.






Moema foi dez! Madrugou por aqui, convocou todo o secretariado, mobilizou ambulância, caminhões, cones para fechar ruas...uma verdadeira operação de resistência.












As fotos são da nova fotógrafa Silvina Bologna

6 comentários:

Isabel disse...

Esse Pilha tá em cima da hora e ainda contratando novo fotógrafa. Vamos em frente!

À Queima Roupa disse...

...enquanto isso, na Praça Municipal... Ah, o prefeito de Salvador divulgou nota dizendo que "continua manifestando a nossa solidariedade aos barraqueiros". Ô Moniquinha, vou chupar sua matéria lá pro AQR, viu?

Mônica Bichara disse...

Tá liberado, Jaci. Depois a gente acerta o cachê hehehe

Léa disse...

Aqui no Flamengo foi muito triste de ver tudo indo a baixo,JP foi para o seu quartel general as 5h da manhã e chorou ao ver as barracas irem a baixo. As pessoas que trabalhavam tb chorando e tentando retirar o que podiam.É desolador.

Joana D'Arck disse...

De volta a Salvador, chocada com essa situação. Moema tem razão, porque a prefeitura de Salvador nunca fez nada por Ipitanga e acho essa demolição muito estranha. E as barracas de Vilas, foram incluídas?

Léa, me emocionou a dor de Chuchu e dos que viviam dessas barracas, porque de uma hora para outra resolvem demolir tudo sem que os que sobreviviam disso tenham qualquer apoio ou alternativa. Revoltante.

Joana D'Arck disse...

Ah! Parabéns Silvina, pelas fotos muito reveladoras da desolação e revolta dos barraqueios, como também da atitude da prefeita retada que é Moema.

Arquivo do blog