Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Sexo e política no Ceará

Por WILSON GOMES

Nas eleições cearenses, política e pornografia convergem num ponto em comum. Ou melhor, em três. Adriely Fatal tem como adversárias a stripper e ex-vereadora Deborah Soft (PTN), além de Kátia Heffner (DEM), atriz pornô e empresária do setor de swing. Se eleitas, o Estado nordestino ganhará uma inédita bancada do sexo na Assembleia Legislativa.

De top e microshort, a morena Maria Isabel Barroso, 27 anos, dança na caçamba de uma Saveiro em busca de votos.


Para os eleitores que passam pela rua, ela se identifica pelo nome de guerra: Adriely Fatal, candidata a deputada estadual pelo nanico PTC em Fortaleza (CE). A moça ficou famosa por sua atuação como stripper e atriz de sexo explícito. Seu último filme, Transando com o vizinho, teve o lançamento adiado para evitar problemas com o TRE.

A campanha de Adriely é voltada para o eleitorado masculino. Sua proposta é levar uma casa de striptease a cada município do Ceará.

Desde o início da campanha, ela alega ter parado de tirar a roupa nas boates para evitar problemas com a legislação. Mas ela garante que se chegar a deputada, pretende continuar fazendo striptease por “amor à profissão”. A mesma identificação existe com os filmes pornográficos.

“Acho que tenho talento para ser atriz pornô porque me dedico muito a tudo que faço”, acrescenta.

O marido de Adriely, Romeu Ferreira, conhecido como Jonas, concorda. “Adriely é ótima atriz. Segura, tranquila. Fica muito bonita no vídeo”, diz ele.

Mentor da campanha de Adriely, em 2004, Jonas ajudou a eleger vereadora a stripper Edivânia Matias Góes. Nas urnas e boates, ela é chamada de Deborah Soft.


Na época, Jonas era casado com Deborah. Atualmente, a ex-mulher é candidata a deputada estadual, mas sem a ajuda de Jonas. “Eu me espelhei na Cicciolina para promover a campanha da Adriely.

Acredito que vamos conseguir o eleitor que mistura desejo com voto de protesto”, diz o marqueteiro.


A mesma ideia direciona a candidatura de Maria Adelina Nascimento Holanda, de 33 anos, a Kátia Heffner.

Em parceria com o marido, Tom Heffner (na certidão, Washington Luiz Maciel), ela administra uma casa de swing e organiza festas privadas em Fortaleza. Também é protagonista de alguns filmes da série pornô Swing Ceará.

Na eleição para vereador em 2008, Kátia entrou na disputa. Entretanto, a candidatura acabou cassada por conta da foto dos santinhos de campanha, onde ela aparecia de calcinha fio-dental. O marido de Kátia justifica a decisão de entrar na eleição: “ Na minha concepção, tanto o swing quanto a política se resumem a sacanagem”. (O Globo)

Um comentário:

Joana D'Arck disse...

É muita sacanagem. Se a Bahia resolve copiar...

Arquivo do blog