sábado, 23 de outubro de 2010

Vamos salvar a Chapada Diamantina

Morro do Pai Inácio
Isabel Santos

Essa historinha (abaixo) cabe bem à situação da Chapada Diamantina, que vem enfrentando focos de incêndio em diversos dos seus belos pontos.

É preciso o olhar atento dos baianos para a grave situação. Afinal, aquele santuário da natureza é um dos mais ricos patrimônios da Bahia, que encanta a todos, brasileiros e estrangeiros que ali pisam.

O governo estadual está capacitando moradores como brigadistas para tentar prevenir e combater os incêndios. Mas todos nós também temos que fazer parte desse mutirão de proteção, denunciando, ajudando, sugerindo... Cada um fazendo a sua parte, dentro das suas possibilidades.

Já pensou o quanto já perdemos de flora e fauna, não só pela estiagem, mas também pela ação do homem, quando joga na beira da estrada, por exemplo, pontas de cigarro acesas? Com as queimadas para a renovação de safra, sem nenhum critério e cuidado?.

Gruta da Lapa Doce
Não, a Chapada de Igatu. Mucugê, Cachoeira da Fumaça, Capão, Poço do Diabo, Cachoeira da Angélica, das jibóias, das cavernas, do ensopado e cactu, do Poço Encantado, Lapão, Lençóis, das lindas sempre-vivas, das pedras preciosas, do mul silvestre puro e gostoso... não merece isso.

Vamos protegê-la, demonstrando todo o nosso amor por esse recanto de paz e beleza, que energiza a quem ali vai em busca de paz, lazer, prazer e saúde. VIVA A CHAPADA DIAMANTINA!

A HISTÓRIA DO BEIJA-FLOR


Relata a fábula que havia uma imensa floresta onde viviam milhares de animais, vivendo todos em paz e desfrutando daquele lugar maravilhoso. Num certo dia uma enorme coluna de fumaça foi avistada ao longe e, em pouco tempo, embaladas pelo vento, as chamas já eram visíveis por uma das copas das árvores. Os animais para salvar-se do incêndio começaram a correr, fugindo... Eis que, naquele momento, uma cena muito estranha acontecia. Um beija-flor voava da cachoeira ao fogo, levando gotas d'água em seu pequeno bico, tentando amenizar o grande incêndio. O elefante, admirado com tamanha coragem, aproximou-se e perguntou ao beija-flor: - Seu beija-flor, o senhor está ficando louco? Não está vendo que não vai conseguir apagar esse incêndio com gotinhas d'água? Fuja enquanto é tempo! Não percebe o perigo que está correndo? Se retardar a sua fuga talvez não haja mais tempo de salvar a si próprio! O que você está fazendo de tão importante? E o beija-flor respondeu: - Sei que apagar este incêndio não é apenas problema só meu Sr elefante. Eu apenas estou fazendo a minha parte! Preciso deste lugar para viver e estou dando a minha contribuição para salvá-lo! – O Senhor elefante tem razão quando diz; -“ há mesmo um grande perigo em meio aquelas chamas”, mas acredito que se eu conseguir levar um pouco de água em cada vôo que fizer da cachoeira até lá, estarei fazendo o melhor que posso para evitar que nossa floresta seja destruída. Em menos de um segundo o enorme animal marchou rapidamente atrás do beija-flor e, com sua vigorosa capacidade, acrescentou centenas de litros d’água às pequenas gotinhas que ele lançava sobre as chamas. Notando o esforço dos dois, em meio ao vapor que subia dentre alguns troncos carbonizados, outros animais lançaram-se para a cachoeira formando um imenso exército de combate ao fogo. E venceram o incêndio... Ao cair da noite, os animais da floresta estavam exaustos pela dura batalha vivida, mas vitoriosos porque permaneceram sobre a relva que duramente haviam protegido.

Um comentário:

ramiro da chapada disse...

Concordo Plenamente

Sou brigadista voluntário, luto por uma Chapada sem fogo, e é importante que todos tenham consciência ambiental. Parabéns pela matéria

Comente as nossas postagens

Este blog voltou a admitir comentários sem e-mail (somente assinado), mas como esta opção inclui anônimos, devido ao formato do editor Blogger, e como também não faz moderação prévia, excluirá o que julgar baixaria, impróprio ou ofensivo.

Seguidores