Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Lílian Kastro canta no Café Machiavelli


O samba vai embalar o Café Machiavelli (Pirâmide do Rio Vermelho) nesta quinta-feira, dia 3, a partir das 20h, com o show da cantora baiana Lílian Kastro, acompanhada ao violão por Luan Sodré e na percussão Anderson Petti. A artista apresenta composições de Adriana Calcanhoto (Beijo Sem), Batatinha (Direito de Sambar), Noel Rosa (De Babado), Cartola (Tive sim), dentre outras.


O couvert custa R$10

Mais informações: 3334-5677

Duelo das Caricaturas

Arapinga, na visão de Borega
As duas caricaturas foram produzidas na varanda do Sesi, ao som do grupo Mandaia, num dia fraterno após show-aniversário de Rita Tavares.
O troco: Borega, na visão de Arapinga

sábado, 29 de janeiro de 2011

Bola no pé, Livro na mão




A praia de Ipitanga, em Lauro de Freitas, é realmente uma caixinha de surpresas. Quando a gente pensa que não vai rolar nenhuma novidade, surge uma garotada uniformizada da Escola Futebol do Futuro, do sugestivo projeto "Bola no pé, Livro na mão", de Itinga. Pra ter a oportunidade de fazer parte da escolinha, não basta estar matriculado em alguma escola: tem que mostrar bom desempenho no boletim.

Como ficar indiferente a isso? Atualmente o projeto atende a 86 crianças e adolescentes.

Empolgados, os meninos obedeciam ao professor de educação física Cláudio Nunes (da rede municipal), que mantém o projeto há 13 anos, sem qualquer ajuda oficial ou empresarial. "Tenho esperança que apareça alguém que abrace nosso projeto", disse o professor, depois do treino coletivo na praia. Para dar conta do recado ele conta com a ajuda de um conselho de cinco mães parceiras e da Igreja Batista do Conjunto Parque Santa Rita, em Itinga.

Da escolinha já saiu até um craque, Eduardo, que jogou no Bahia e no Botafogo do Rio, agora contratado pelo Vitória. Agora que é profissional e de volta à terrinha, bem que o cara podia dar um empurrãozinho e ajudar a divulgar o projeto e conseguir patrocínio.

Fica a sugestão, também, para os empresários e prefeitura de Lauro de Freitas.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

UMA PISCINA TRANSBORDANTE DE DISCRIMINAÇÃO

De Buenos Aires (Argentina) - Claudia Mabel Soria passou maus momentos, mas encarou a briga. Num dos últimos finais de semana, em La Reja (cidade da área metropolitana da capital federal), ela foi barrada numa piscina de um camping porque usava um calção de banho masculino (usava também a parte de cima do biquíni). Estava com duas dezenas de companheiras lésbicas e mulheres bissexuais ligadas à La Fulana, entidade sediada em Buenos Aires.
Ela não se conformou. Foi queixar-se no Instituto Nacional contra a Discriminação, a Xenofobia e o Racismo (Inadi), órgão do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, que prontamente obrigou a direção do camping a liberar a piscina para ela. Mas bolaram uma vingança cruel. Espalharam pela área da piscina cartazes, com o nome da moça, apontando que foi permitido seu ingresso em condições inadequadas “por sua condição de lésbica”. Aí foi o diabo. Claudia Mabel Soria teve que agüentar aquelas sacanagens de costume – piadas de mau gosto, insultos, provocações...
E olha que isto acontece num país onde o governo federal erigiu a política de Direitos Humanos como uma política de Estado (especialmente na questão do julgamento dos torturadores da ditadura); onde o Congresso Nacional aprovou, no ano passado, o casamento igualitário; onde se registrou, em dezembro último, o primeiro casamento oficial, legal, de dois homens homossexuais; onde se discute com seriedade a descriminalização do aborto – sem aquela baixaria que ocorreu durante as últimas eleições presidenciais no Brasil.
Bem, se serve como contrapeso: motivado pelo caso, o Inadi anunciou que vai espalhar instruções e advertências pelos locais turísticos e garantiu que a “lesbiana” discriminada, se quiser, pode entrar com processo judicial contra a direção do camping.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Canções que o amor me rendeu

Rita Tavares retorna ao Teatro do Sesi


A cantora e compositora baiana, Rita Tavares, retorna hoje (27) aos palcos de Salvador com Canções que o amor me rendeu, no Teatro do SESI do Rio Vermelho. O show, que foi sucesso de crítica e público no início do ano passado, vai acontecer  às 20h e marcará o aniversário da estrela  mais comentada aqui no Pilha.

A grande novidade, desta vez, é a participação especial de vários artistas do cenário musical baiano, cantando as composições de Rita. São eles: Cláudia Cunha, Joathan Nascimento, Luciano Aguiar, Borega (nosso pilheiro), Ana Paula Albuquerque, Carlinhos Cor das Águas, Maurício Peixoto, Jana Vasconcellos, Renato Rivas, Laura Dantas, Luiza Brito, Gregory Baratoux e Jorge Macarrão. “É uma honra e um luxo tremendo ter esses grandes músicos e intérpretes cantando minhas canções”, comemora.

Canções que o amor me rendeu é um trabalho autoral, onde Rita Tavares mostra, em forma de canção, várias faces e etapas de relacionamentos sentimentais que vivenciou. Ritmos diversos são explorados nesse show como o samba, o xote, a valsa, o ijexá e o reggae, em músicas que falam de amor, da saudade, do homem ideal, do medo de voltar a se apaixonar, da solidão opcional, dos reencontros, entre outros acontecimentos próprios de todas as relações. Tudo, dentro de um ponto de vista especialmente feminino e com certa dose de humor.

Para a cantora, é uma grande ousadia montar um show com um repertório totalmente autoral, principalmente quando se trata de músicas inéditas e praticamente desconhecidas do público. “Mas é o recado que eu tenho a dar, tomando como referência situações que eu vivi e que, em forma de desabafo, foram transformadas em canções”, conta.

Na banda de Rita - que se acompanha ao violão - estão os músicos Asa Branca (violão), Ivan Bastos (baixo) e Marcelo Torres (bateria).

Serviços:
O quê: show musical “Canções que o amor me rendeu” com Rita Tavares
Onde: Teatro do Sesi do Rio Vermelho
Quando: 27 de janeiro de 2011, às 20h
Ingresso: R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia)

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Novos Alagoanos

Fazendo uma dessas faxinas na papelada, achei uma revista Piauí de 2009 com uma nota muito bacana, apesar de descontextualizada, não me contive e resolvi reproduzir aqui no Pilha:


"Após o retumbante sucesso do disco Acabou Chorare, Os Novos Alagoanos reaparecem das cinzas com esse surpreendente Recomeçou Mamare. Encabeçado pelo trio Baby Helena, Moraes Calheiros e Pepeu Collor, o conjunto mostra que veio mesmo pra ficar. Baby Helena solta a voz ao interpretar os sucessos O PSOL Nascerá,de Cartola, Lá vem o PSOL, de Lulu Santos, e Luz do PSOL, de Caetano Veloso, e, numa homenagem aos Beatles, Here Comes the PSUN. Moraes Calheiros interpreta uma das canções mais animadas do disco, Besta é Tu, dedicada ao povo brasileiro, e cujo refrão repete doze vezes a frase”Besta é Tu”. Já Pepeu Collor assina a música que dá nome ao disco, Recomeçou Mamare, composta no dia seguinte a sua nomeação para presidência da Comissão de Infra- Estrutura do Senado: “Recomeçou Mamare/ Ficou tudo lindo/ No bu bu li lindo.”"

EXCLUSIVO: A música do Carnaval!!!

video

PALHAÇOS NO PASSARELA


Extra, extra!

Tem Palhaços na PASSARELA!
Agradecemos a equipe do SESI (Rio Vermelho), ao Jequitibar, a Banda Salada Mista e todos que colaboraram e participaram da nossa festa.
Os Palhaços não param... vamos realizar mais dois eventos extras antes no nosso grande desfile. O primeiro no dia 29/01 na inauguração do Passarela Bar (Lgo. de Santana - Rio Vermelho) com Luciano Silva & Banda e o DJ Ruy Santana. No dia 12/02 vamos comer feijão? O Buteco do Zé abre suas portas para realizarmos nossa segunda feijoada, esta vai ser de camisa, em breve divulgaremos os locais de venda. Já confirmados Duosense & Rogério D'Souza e o DJ Ruy Santana, para fazer o som da festa.
Ingressos a venda para festa do Passarela Bar no Boteco do França, Jequitibar Café e Bar do Bahia por R$ 15,00.
Esperamos por voces.
Abraços.Palhaços do Rio Vermelho
Serviço:Festa dos Palhaços do Rio VermelhoAtrações: Luciano Silva e BANDA, DJ Ruy SantanaData: 29/01/2011Hora: 22hLocal: Passarela Bar, Rua João Gomes, 2 - Largo de Santana, Rio VermelhoCouvert: R$ 15,00 Vendas: Boteco do França, Jequitibar Café e Bar do Bahia

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Hoje é aniversário de Tom Jobim


Se vivo fosse, o maestro soberano completaria 84 anos. Sua obra genial continua influenciando gerações de músicos no mundo. Para o Pilhapura, selecionei algumas tiradas desse compositor, que insistia em viver como um brasileiro comum, e dediquei a alguns pilheiros e leitores assíduos.

PARA JADSON“Morar em New York é bom, mas é uma merda. Morar no Rio é uma merda, mas é bom”.
PARA ARAKEN“Os chatos precisam de atenção pupilar e ficam perdidos diante de óculos escuros”.
PARA LENINHA BINA“Estou sendo empalhado vivo”. (sobre o trabalho de organização de seus arquivos de músicas, para o qual contratara a museóloga Vera Alencar).
PARA NANA“Às vezes acho que o brasileiro não gosta de música brasileira. Veja pelo meu filho pequeno. Ele só gosta de rock. O pior é que eu o ensinei a andar para a frente, e agora, por causa desses passos do Michael Jackson, ele está é andando para trás”.
PARA BIRA PAIM“Se não fosse a Garota de Ipanema, que fiz com o Vinícius e gravei com Sinatra, a esta altura eu estaria fazendo jingles para a televisão e pagando papagaio em bancos”.
PARA SINVAL“Eu não sou homem de negócios, não tenho apartamentos alugados, nem terrenos. O dinheiro que entra é para a casa, o carro, o uisquinho, a cervejinha”.
PARA DÉLIO PINHEIRO“O único profissional que não se cansa de falar nas coisas com as quais lida é o ginecologista”.

PARA GAL COSTA
“...algumas vezes dormi nos bancos da Praça Nossa Senhora da Paz, de tarde, com aquela preguiça que o calor dá”. (sobre sua juventude em Ipanema)
PARA CARMELA“O Brasil não é para principiantes”.
PARA MOKOFAYA“Quero morrer aqui (no Brasil). É mais confortável morrer em português. Como é que você vai dizer para o médico, em inglês, que está sentindo uma dor no peito que responde na cacunda?”

PARA BASSUMA
“Ando pensando muito em bicho, porque estou achando o homem uma bobagem, uma chatice”.
PARA LUCIANO AGUIAR“O futuro já era: vou acabar em plena Amazônia toda asfaltada com um matita-perê empalhado no dedo”.

PARA FRANCIEL
“Outro dia, entrei no mato para piar um inhambu e o que saiu de trás da moita foi um Volkswagen”.
PARA JOANINHA“O trabalho que fiz com Tom Jobim foi um dos que mais me deram satisfação pessoal e profissional em minha carreira. Ele era um gênio e fazia qualquer um que trabalhava com ele sentir-se bem”. (Frank Sinatra)

UM PADRE ZELOSO DE SUA CASTIDADE


O padre Pato tomou o microfone do ator (vestido de
padre): "Não vou permitir que pisoteiem minha
castidade"

De Buenos Aires (Argentina) – Aconteceu na pequena cidade de Malargüe, na província (estado) de Mendoza, oeste da Argentina, na madrugada do último sábado, dia 22. Um grupo (teatro, coral) chamado Lutherieces interpretava a paródia Educação Sexual Moderna, durante a tradicional Fiesta Nacional del Chivo (bode).

Um personagem - paramentado de religioso, diante de uma platéia de nove mil pessoas - estava confessando, através de um diário íntimo, que é “muito dura a abstinência” porque é “jovem e forte”, lhe custa afastar “os pensamentos impuros”. E para não perder o controle tem que “correr pelo campo” e “subir nas paredes”, ainda que todo esse desgaste físico não lhe impedia de “ter alucinações”.


Foi aí que o padre Jorge Gómez, de apelido Pato, não aguentou. Subiu ao palco, tomou o microfone do ator (até com uma certa amabilidade), interrompendo o espetáculo. Falou: “Somos católicos e não vou permitir que pisoteiem minha castidade” e mais algumas poucas palavras. Os rapazes do coral começaram então a tocar e cantar uma cueca (não tem nada a ver com nossa cueca aí do Brasil, é uma música típica muito popular por estas bandas, vi também na Bolívia). O padre então felicitou os rapazes: “Isto é precioso”, referindo-se à cueca.

Depois seguiu-se uma polêmica pela imprensa e o padre Pato saiu-se com uma frase estranhíssima: “Violar a fé é 10 mil vezes pior do que violar uma filha” (no português seria mais adequado o termo violentar?). Aí pediram a ele para calar a boca. Parece que a coisa se acalmou.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Vamos imitar Bruxelas?

O nosso Pilha pura foi a Bruxelas (Bélgica)  buscar sugestões para propor aos artistas  e pichadores de Salvador. Já imaginaram se todos usarem a criatividade nas fachadas e paredes das casas sem rebocos que enfeiam os bairros populares? Salvador ficaria a cidade mais linda do mundo.  Vamos estimular essa idéia.

Em Bruxelas, prédios e casas receberam um toque especial com murais que adornam as suas fachadas e paredes laterais,  a maioria pintadas com  tintas carregadas de humor.

Os murais pintados por artistas famosos destacam personagens de HQ como Asterix e Tintin e sitações
engraçadas. A cada ano os murais vão surgindo na cidades, desde 1969. Confiram nestas fotos.


















sábado, 22 de janeiro de 2011

Beber cerveja todo dia combate até Diabetes

Atenção seguidores  DE-UM-BAR (como diz um amigo casado com uma evangélica, quando perguntam sobre a religião dele): novas pesquisas trazem mais argumentos pra tomar (ops! beber) aquela geladinha religiosamente todos os dias.

Agora são os estudiosos espanhóis que revelam a boa novidade. Mas vá com calma aí gente. A dose ideal de cerveja, por dia, para as mulheres são dois copos pequenos; para os homens, três. Essa é a receita para ter uma vida saudável.

No mesmo status do vinho, a  geladinha combate diabetes, evita ganho de peso e previne contra hipertensão. Além de ter graduação alcoólica baixa, a cerveja contém ainda ácido fólico, vitaminas, ferro e cálcio - nutrientes que protegem o sistema cardiovascular.

A médica Rosa Lamuela, responsável pela pesquisa tira a culpa da cerveja pelos quilos a mais, já que ela tem cerca de 200 calorias por caneca - o mesmo que um café com leite integral, destaca a médica .

Ratifica também a máxima popular de que a cerveja não é a responsável por aquela barriguinha avantajada. A culpa, na verdade, seria dos aperitivos gordurosos, como salgadinhos e frituras, que grande parte das pessoas consome junto à bebida.

Hum... tenho cá minhas dúvidas. Apesar da pesquisa confirmando o que se repete por aí, conheço muita gente boa que não come enquanto bebe, mas a pança não pára  de crescer.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Proibição deixa expressão sobre jegue sem sentido

Lena filmou tudo, deslumbrada com a beleza e a animação das
baianas, das bandas "chupa-catarro", das batucadas anônimas
ou não, dos protestos e tudo que via pelo longo trajeto
Vai acabar caindo em desuso a antiga expressão baiana "mais enfeitado do que jegue na Lavagem do Bonfim" para dizer que alguém exagerou na produção visual, depois da proibição sobre a participação desse animal na festa mais popular da Bahia.

A probição provocou todo tipo de comentários entre os adeptos da lavagem. Uma amiga protestou: "O pobre do jegue vai acabar desaparecendo, porque perdeu a função de levar carga no sertão, depois das motos e carros utilitários. Agora não pode mais nem desfilar nos cortejos!  Assim também é demais também!".

Exageros à parte e com todo respeito à preocupação com a proteção aos animais, sinceramente o cortejo Bonfim perdeu muito da sua graça sem o jegue.


COM FÉ ATÉ A COLINA

Com algum atraso devido ao ritmo lentíssimo das férias, aí estão algumas fotos na nossa participação na Lavagem do Bonfim. Somente algumas, feitas no meu celular, porque as melhores  ainda não foram enviadas por Lena Massard, uma amiga quase suíça de tanto tempo que vive por lá,
O detalhe do nosso "bloquinho": fitinhas do bonfim coloridas
penduradas nas camisetas

assim como a irmã dela, Neide Jacot (ambas irmãs de Deta, nossa conhecida aqui no Pilha).

Há tempo que eu não ia até a Colina. Todo ano participo da lavagem, mas ultimamente via o cortejo sair da Conceição e ficava ali pelos arredores da Associação Comercial, com preguiça de fazer o trajeto todo de oito quilômetros. Este ano acabei cedendo aos apelos das "gringas" que queriam porque queriam seguir até a colina.

As "gringas" com  a baiana patriótica
A caminhada foi super tranquíla, regada a alguns goles gelados e com algumas paradinhas pelo percurso para o xixi, coisa que não é fácil  porque são raras as opções.
Olha a disposição de Madame Massard ao chegar
à Colina, na ladeira paralela, onde encontramos
 muitos amigos

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

AH... O AMOR


Ai como é bom voltar a experimentar as curvas radicais da montanha russa. Foi assim que me senti assistindo "Ah...o amor". O titulo é assim mesmo, mas como ainda não tinha informações sobre o filme, uma das minhas amigas prediletas, mas extremamente discreta e que detesta ser citada, que me convidou para ver a película (isto é a cara de André Setaro) e me falou assim;
- Jô! Vamos ao cinema, lá no shopping Paseo. Quer ir?
-Tá, mas para assistir que filme? Perguntei já animada.
-Ah...o amor.
-Como ?
- Não é  AO AMOR, mas AAAAAAAAH... O AMOR.
-Título esquisito, mas topo. Disse achando estranho, assim como "Tomates verdes fritos", cuja exibição foi prejudicada no Brasil por causa dessa versão esdrúxula, já que isso de tomate verdes fritos não quer dizer nada para nós.
-É uma comédia romântica italiana.
- Tá, vamos lá.

Fiquei animada . Adoro comédias românticas, mas detesto os pastelões americanos. Só que a minha amiga é criteriosa e de bom gosto ( nem adianta que não digo o nome dela, porque ela detesta mesmo aparecer em blogs, google e coisas e tais... Acho até que ela tem razão, porque assim não teve a foto roubada por outra pessoa em perfil do twitter e não ouviu a afilhada torcedora do Bahia gritar com ar de vingança: "Dinda,  vi você no google vestida com a camisa do Bahêa!).



O fato é que saí do cinema com ar de realizada. 
Vi uma "película" super gostosa, vivi uma aventura de emoções (sentimental eu sou!).  
O filme só tem fera, a história é bacana, o ritmo é radical, como descer a montanha russa, porque a gente chora e ri, chora e ri ao mesmo tempo.
Valeu amiga oculta!


SINOPSE (do site UOL)
O filme começa onde a maioria das comédias românticas termina: diversos casais se beijam e trocam juras de amor eterno. Mas viverão felizes para sempre? Vamos acompanhar a vida de seis casais, que acabaram se entrelaçando: Filippo (Vincenzo Salemme) e Caterina (Nancy Brilli), no meio de um divórcio, lutam para “não” ganhar a custódia de seus filhos; Luca (Silvio Orlando) que está se divorciando de Loredana (Carla Signoris), vai parar no apartamento de seu filho estudante, determinado a ser jovem e sexy aos 50 anos; Sergio (Claudio Bisio) enfrenta a complicada situação de suas duas filhas adolescentes, após a morte imprevista da sua ex-mulher; Elisa (Claudia Gerini) está para se casar com Corrado (Gianmarco Tognazzi), quando se depara com seu ex onde menos se espera: como o novo padre (Angelo Infanti) que vai celebrar seu casamento. Tudo isto ocorre entre um Natal e o Dia dos Namorados, entre Roma, Paris e a Nova Zelândia, num carrossel de risadas e paixões.


FICHA TÉCNICA (do site UOL)

Diretor: Fausto Brizzi
Elenco: Claudio Bisio, Nancy Brilli, Cristiana Capotondi, Cécile Cassel, Fabio de Luigi, Alessandro Gassman, Claudia Gerini, Flavio Insinna, Silvio Orlando, Martina Pinto, Carla Signoris, Gian Marco Tognazzi, Giorgia Würth, Malik Zidi.
Produção: Fulvio Lusciano, Federica Lusciano
Roteiro: Fausto Brizzi, Massimiliano Bruno, Marco Martani
Fotografia: Marcello Montarsi
Trilha Sonora: Bruno Zambrini
Duração: 120 min.
Ano: 2009
País: Itália
Gênero: Comédia Romântica
Cor: Colorido
Distribuidora: Art Films/ Serendip Filmes
Estúdio: Italian International Film / Italian International Film / Mes Films / Paradis Films / Rai Cinema
Classificação: 14 anos

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Exclusivo: Rita Tavares faz Zizi Possi cancelar show no TCA


Desde que anunciou o seu show-aniversário dia 27/01 no Teatro Sesi Rio Vermelho, a nossa colega jornalista, cantora e compositora Rita Tavares (para a turma da EBC é Rita Birita!) tem atrapalhado a agenda e o brilho de estrelas e eventos. A mais recente, dizem, é a desistência de Zizi Possi, que cancelou pela segunda vez show que faria na capital baiana. É Pilha Pura!

"Canções que o amor me rendeu" é título do show auto-próprio-confessionário-biográfico da cantora, que completa meio século de vida ao lado dos amigos. Eu estarei lá. Araken, que acredito não deve ter rendido uma música que preste, também estará lá. Vamos?


PS: A foto é de Jade Prado

domingo, 9 de janeiro de 2011

CORAÇÃO DE ESTUDANTE, saudades

video
Vocês sabem, quando a gente tá pelo estrangeiro as coisas do nosso país (com as lembranças) dobram a beleza. Vi hoje, domingo, num canal de TV aqui de Buenos Aires um programa com Milton Nascimento e Wagner Tiso. Os dois batendo papo como velhos amigos e parceiros, falando das variadas parcerias, Milton cantando, Tiso tocando, uma belezura. Fecharam com o Coração de Estudante, música e letra dos dois, daquele belo documentário de Silvio Tendler sobre Jango. Gravei pra nosotros, isto é, pros companheiros e companheiras do Pilha Pura. Beijos e abraços.

sábado, 8 de janeiro de 2011

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Lílian Kastro no Tom do Sabor


Grande pedida para a quarta-feira, dia 12: show da cantora Lílian Kastro (uma figuraça!), acompanhada do violão de Daniel Santana, no Tom do Sabor, no Rio Vermelho. Vai ser samba na veia.

A artista, nossa colega da Assessoria de Comunicação da Câmara de Salvador, apresentará composições de Adriana Calcanhoto, Batatinha, Sinval Silva, Cartola...entre outros grandes nomes da MPB.

O couvert artístico custa R$10.

A apresentação de Lílian antecede o show do cantor e compositor Marcelo Quintanilha, no palco principal, com participação especial da cantora Vânia Abreu.

Mais informações pelo 3334-5677.

2º Criatividade na Cor, com Walter Firmo


Workshop do Instituto Casa da Photographia traz para Salvador um dos maiores fotógrafos coloristas do Brasil


De 31 de janeiro a 4 de fevereiro, o fotógrafo carioca Walter Firmo chega a terras baianas para ministrar a 2ª edição do workshop Criatividade na Cor, realizado pelo Instituto Casa da Photographia.

Como sugere o nome, o workshop incentiva a criatividade e o exercício do olhar fotográfico do participante quando propõe a valorização da expressividade junto a utilização das cores para a composição da imagem. As aulas serão teóricas, com projeções de trabalhos de fotógrafos brasileiros e estrangeiros, comentadas e analisadas por Firmo, um dos maiores fotógrafos coloristas do país, além de saída fotográfica em grupo, no dia 2 de fevereiro, data da tradicional Festa de Iemanjá, no Rio Vermelho, sob a coordenação do fotógrafo convidado.
Para o encerramento do workshop, cada participante deverá apresentar o material produzido durante a saída fotográfica, que será avaliado por Walter Firmo em sala. O Criatividade na Cor é destinado a fotógrafos profissionais e amadores, artistas interessados em cultura visual, estudantes e professores de graduação e pós-graduação nas áreas de comunicação social, ciências humanas e sociais, artistas plásticos e jornalistas. Os participantes devem ter conhecimento em fotografia, possuir uma câmera digital e mídia para armazenar e transportar o material produzido.

Sobre Walter Firmo

Iniciou em 1957 como repórter fotográfico no Jornal Última Hora, trabalhando posteriormente no Jornal do Brasil, revista Realidade, Manchete, Veja e Tênis Esporte. A partir de 1971, passa a trabalhar como fotógrafo independente, condição que mantém até hoje. Durante esse período fotografou para publicidade e jornalismo, publicando suas fotos em diversas revistas nacionais e estrangeiras. Tem diversos prêmios, entre os quais o prêmio ESSO de reportagem em 1993, além de nove prêmios Nikon. Atualmente ministra workshops em várias capitais do Brasil e na França, sendo também professor da escola Ateliê da Imagem.

Serviço:
O que: Workshop Criatividade na Cor – de 31 de janeiro a 4 de fevereiro de 2011.
Inscrições: Até 21 de janeiro.
Local: Instituto Casa da Photographia. De segunda a sexta, de 9h30 às 17h. Endereço: Rua Alexandre Gusmão, 50, Rio Vermelho. Tel: (71) 3018-3906.
Carga horária: 18 h, divididas em seis encontros de 3h cada.
Investimento: 3 x R$ 231 ou à vista R$ 650 [descontos para estudantes R$ 590 ou 3x R$ 197].
Emissão de certificado de participação no curso para inscritos que obtiverem freqüência mínima de 75%.

Mais informações: Flavia Vasconcelos – Assessoria de imprensa. E-mail: fauvascon1@gmail.com Contatos: (71) 9957-7021 ou (71) 3018-3906.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Ao letrista, a palavra

(Para Joaninha, Bina, Araken e Luciano)


Dori Caymmi é o mais baiano dos filhos de Dorival. Nascido e criado no Rio de Janeiro, arranjou temas e canções de Tom Jobim com apenas 20 anos de idade, tornou-se grande como os mestres Jobim, Eumir Deodato e Luiz Eça e, por isso, conquistou o mundo.

O que quero registrar aqui vai além da influência de sua música para milhares de músicos. É sobre a ética de Dori Caymmi, que é proporcional à sua genialidade musical. Promessa pra ele é no fio do bigode.

Seu compromisso é com a arte e com a beleza. E Dori dividiu parcerias com Paulo César Pinheiro sem dele cobrar prazo para conclusão das letras – o tempo do poeta é o tempo da arte. Porém, o filho de Dorival registrou em CDs todas as parcerias entre eles, garantindo o quinhãozinho de direito autoral do parceiro nas gravações que apareceram como instrumental.

Seu último CD, Mundo de Dentro, apresenta as letras de Paulo sobre as melodias que conheço há mais de quinze anos. Que maravilha! Dori, para privilegiar as canções e esse momento, fez um disco mais com a marca dos violões e da sua voz grave. Tem Edu Lobo cantando um frevo, lançado em 1992; tem a faixa-título, cuja autoria tem também a “mão” de Danilo Caymmi, com a participação de Renato Braz.

Das 13 canções do CD, apenas uma, Fora de Hora, traz outra parceria na letra. Sacanagem se a exceção não fosse escrita por Chico Buarque sob um tema de Dori feito para o filme Lara (2003. Direção de Ana Maria Magalhães).

Do Mundo de Dentro, o portal do jornalista Luis Nassif na internet destacou a canção Rio Amazonas – leia a postagem, escute as versões sem letra e com letra, e assista a interpretação de Dori, Zé Renato e Renato Braz aqui.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Só uma latinha por dia não faz mal

O médico liberou uma latinha de cerveja por dia e o cara mal saiu do consultório já encomendou a entrega diária. Role e mouse e veja.














Agora advinhe quem é o cara 

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

S-anta cunhada!

Minha cunhada “conectada” não abre mais a porta  do banheiro sem usar uma toalha de papel nas mãos e não bebe mais refrigerante com rodelas de limão ou laranja, preocupada com “as milhares de bactérias na casca”.

Ela me ligou para desejar Feliz Ano Novo, mas não deixou de fazer o que mais gosta: me aterrorizar com as inúmeras “advertências” contra tudo, que ela recebe diariamente via e-mails. “Pe-la-mor-de-Deus Jô, se você vai viajar agora nas férias, não use o controle remoto em quartos de hotel, porque a gente nunca sabe o que a última pessoa estava fazendo enquanto navegava nos canais adultos!”,  implorou.

Não gente! Pensei que a minha “e-cunhada” tomou jeito, mas é caso perdido. Ela acredita em tudo que é terror e porcaria que enviam pra ela. Anda tão apavorada que ficou  “maleducada”, como dizia minha avó.  Já não aperta a mão de quem dirige, por que foi “advertida” de que o passatempo predileto de alguém dirigindo é cutucar o nariz.

Dia desses ela me apareceu fedendo feito gambá. Fiquei constrangida, mas não resisti e perguntei se ela estava usando alguma medicação.  Que nada, disse ela, simplesmente deixou de usar “desodorantes cancerígenos”. Pobrezinha da minha cunhada, vive acumulando novas manias desde que aprendeu a usar e-mail. Se eu soubesse que iria dar nisso... se arrependimento matasse eu estava durinha no chão.  Não sei porque cargas d’água fui fazer aquele e-mail pra ela e ensiná-la a usar.

Ah! E na ligação para felicitações de virada do ano a cunhadinha ainda saiu com mais essa: agora guarda a escova de dentes no quarto para não correr o risco de contaminá-la com as bactérias da privada.

Ninguém merece.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Diálogo do Dia Delas

Às 14:30h (horário de Brasília) o telefone toca. Deta atende. ´E Zé Sinva ligando (logicamente) lá do bar de Bahia.

-Vocês  estão assistindo a posse?
-Claro que estamos! (fala empolgada)
- E aí, como é que está o andamento?
-Vai agora assinar a posse. Estamos aguardando o discurso.
-Não! Estou perguntando do almoço, porque a posse eu estou assistindo daqui
- Há! O almoço não sei não. Estamos ocupadas assistindo a posse. Não sei nem se vai rolar.

Arquivo do blog