Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Filme homenageia atriz Yumara Rodrigues

O documentário ‘Yumara Rodrigues – Uma Diva nos Palcos da Bahia’, que homenageia os 50 anos da carreira da atriz baiana, será lançado nesta quarta-feira (31), às 20h, no Teatro Martim Gonçalves, na Rua Araújo Pinho, s/n, em Salvador. A sessão é aberta ao público, com entrada gratuita, até a lotação da sala.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

nana - ne dis rien (serge gainsbourg cover)

Ouvindonana no Conexão Vivo

Trabalho autoral, cercado de influências que vão desde o cinema tcheco até o nomeado indie pop da banda radio dept. com a presença marcante de elementos eletrônicos, as músicas passeiam pela chanson française e pelos ritmos da bossa nova brasileira, guiadas por nomes como serge gainsbourg, brigitte bardot e tom jobim.
nana  (voz, piano, teclados, escaleta)
joão  (programações, violão, guitarra, teclado, escaleta)

direção de arte
agnes cajaiba e jeronimo soffer
maquiagem
paloma simplício

imprensa e shows
flávia santana  e tais bichara

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Silvio Rodriguez: "Hasta siempre, comandante!"

<iframe width="420" height="345" src="http://www.youtube.com/embed/GxtwzU0-wPM" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

domingo, 28 de agosto de 2011

Quem quer adotar Jaqueline?

Quem se candidata a adotar essa fofura? O nome dela é Jaqueline e tem 3 meses.

Ela foi abandonada na Faculdade de Psicologia da UFBA, em São Lázaro, e minha irmã levou pra casa (antes passou por veterinário e ela está com tudo ok). Acontece que ela já tem um gatão, enooooorme, que estranhou e tá morrendo de ciúmes. Não quer nem comer, tadinho. Por isso ela resolveu passar Jaqueline (ela não tem cara de Jaqueline?) para alguém que cuide direitinho da bichinha.

Interessados odem se manifestar

Sanitário chique


Uma "obra" de Bel Borba  deixada na Rua da Paciência, no  Rio Vermelho ganhou uma inusitada utilidade, está servindo de sanitário , tem até fila para urinar no novo "equipamento público".

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Quando o entrevistado não segue o script

Não é só pra fazer propaganda do meu Evidentemente, mas os companheiros pilheiros/pilheiras precisam dar uma entrada lá e ver dois vídeos realmente sensacionais: um é um senhor negro de Londres dando um esbregue na entrevistadora da BBC que queria forçá-lo a condenar os protestos na capital inglesa; e outro é uma especialista defendendo a legalização das drogas, o que deixa a entrevistadora da Globo baratinada. Vale a pena.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Enquanto a chefinha vai de cachaça, eu vou de vinho (sou chic, bem!)


Como sou chic e não gosto de cachaça, como a chefinha postou aí, prefiro um vinho da Adega Bardo, uma descoberta que fiz por aqui mesmo por Lauro de Freitas (Vilas do Atlântico - Av. Santos Dumont, 6394, Shopping Open Center, loja 28). É tudodebom, me fartei. Tim-tim  hic! hic!

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

terça-feira, 23 de agosto de 2011

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

EXCLUSIVO: Tia de Juliana Ribeiro fala sobre a cantora

Dançarina do Ylê surpreende Juliana Ribeiro com dança belíssima

O Pilha foi cobrir o show de lançamento de "Amarelo", o primeiro CD da cantora, compositora e historiadora baiana, Juliana Ribeiro,  aberto ao público, ontem (21) , no Parque da Cidade, às 11h.

Num furo de reportagem, o blog entrevistou a tia da cantora, Edna Ribeiro, que falou do trabalho de Juliana. "A gente não imaginava que ela se tornasse cantora. Depois que começou a pesquisar  sobre ritmos da música folclórica e de raízes do samba  como o maxixe, o lundu, o jongo, o semba e o ijexá é que ela resolveu cantar. Mas tudo que ela canta é com base nas pesquisas que faz ", disse a orgulhosa tia. 


Edna Ribeiro tietando a sobrinha

No show que fez parte do projeto Música no Parque, Juliana Ribeiro comemorou os seus 33 anos completados no último dia 18, com os parabéns cantado por uma animada plateia. O show foi todo bom. E com supresas até mesmo para a artista, brindada com um show à parte, a entrada de uma daçarina do Ylê, que arrasou no palco com os passos da dança afro.



Curtindo o show com a filhona (parecendo coisa do Facebook)

 Sucesso de público, com o entorno do palco lotado


Depois do show, pose para marcar presença
Eu e Isabel com o colega jornalista Supinho
Isabel e Nana: felizes com o belo dia e a apresentação de Juliana

Margaridas: o que fica além da emoção, da retórica e do espetáculo?

(Foto: Isabela Lyrio)
De Brasília (DF) – Foram 70 mil pessoas, nas estimativas mais modestas (ou 100 mil, como estimaram os organizadores). A grande maioria mulheres, a maioria trabalhadoras rurais, que agitaram a capital do Brasil na terça e na quarta-feira, dias 16 e 17, e encheram o Parque da Cidade, o Eixo Monumental, a Esplanada dos Ministérios, a Praça dos Três Poderes. Foi a quarta Marcha das Margaridas - assim chamada para homenagear Margarida Alves, sindicalista paraibana assassinada há 28 anos a mando de usineiros, senhores donos da terra e, ainda hoje, também da vida -, organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), com suas 27 federações, as Fetags, e mais de 4.000 sindicatos espalhados por este imenso país.
O que gritavam essas aguerridas mulheres nos milhares de cartazes, bandeiras e faixas, e nos carros de som e nas tocantes canções e nos gritos propriamente ditos? Clique aqui para continuar

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Margaridas: imagens do acampamento e da sessão de abertura da marcha


Alberto Boch, presidente da Contag
Cineasta Silvio Tendler
Carmen Foro, coordenadora nacional da Marcha das Margaridas

Ministro Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário)

Frei Leonardo Boff


(No meu blog Evidentemente estou postando fotos da passeata e concentração na Praça dos Três Poderes)

ENSAIO EM CASA DO TOM JOBIM. INÉDITO!!!

video
Ensaio em casa do maestro Tom Jobim, preparando a gravação da canção "Maracangalha", de Dorival Caymmi (incluída no último CD lançado pelo artista em 1994, o ano de seu falecimento).

Estão presentes neste ensaio o autor Dorival; o seu filho Danilo Caymmi
(flauta);  Tom Jobim; Paulinho Jobim violão acústico;  Tião Neto noutro violão acústico  e as meninas do Coro: Miucha Adnet,  Simone Caymmi (esposa de Danilo), Ana Lontra Jobim (mulher de Tom) e Paulinha Morelenbaum.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Margaridas fazem a rodinha no centro do poder

Labutar com 70 mil pessoas (ou 100 mil) deve ser realmente complicado. Pois não é que esqueceram de instalar banheiros químicos nas proximidades da Praça dos Três Poderes, que foi ocupada na manhã da quarta-feira, dia 17, para um belo ato público? Então, as margaridas tiveram que fazer umas rodinhas e se desapertaram numa boa. Mas ficaram vigilantes e as fotos foram tiradas de longe, meio disfarçadas (ao fundo, se vê o palácio do Ministério da Justiça).

Vi também uma rodinha de "margaridos", mas eles me pediram para não fotografar. Eu me desapertei no estacionamento do prédio do Ministério da Saúde. Cada um/cada uma se virou e tudo bem, o brilho da grande marcha não seria ofuscado pela emergência de uma irrigação estranha na grama ressecada do planalto central do Brasil.

INGLÊS PARA A COPA

 CURSO 'THE BOOK IS ON THE TABLE'

O Brasil sediará a Copa de 2014. Como muitos turistas de todo mundo estarão por aqui, é imprescindível o aprendizado de outros idiomas (em particular o inglês) para a melhor comunicação com eles.

Pensando em auxiliar no aprendizado, foi formulada uma solução prática e rápida!!
Chegou o sensacional e insuperável curso 'The Book is on the Table', com muitas palavras que você usará durante a Copa do Mundo de 2014.
Veja como é fácil!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Coisa de Cinema - de 18 a 25 de agosto no Espaço de Cinema Unibanco Glauber Rocha

Minha sobrinha Taís, estudante da Facom, tá envolvida até a alma com a produção do festival, que será aberto nesta quinta-feira, 18. Segue a programação:


Programação:
QUINTA-FEIRA (18/08)

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 1

20h - Sessão de Abertura
'Morrer como um homem', de João Pedro Rodrigues
Conversa com o diretor após a sessão.

SEXTA-FEIRA (19/08)

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 2
19h – Panorama Internacional
'A Vida Útil' (La Vida Útil), de Federico Veiroj
20h20 – Competitiva Nacional I
'Ela morava na frente do cinema', de Leonardo Lacca
'Uma Primavera', de Gabriela Amaral.
'Trabalhar Cansa', de Juliana Rojas e Marco Dutra
Exibição fora de competição.
Conversa com os diretores após a sessão

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 3
13h40 – Première Brasil
'Os Monstros', de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti
15h20 - Panorama Internacional
'Caminho Para o Nada' (Road To Nowhere), de Monte Hellman
17h40 – Homenagem Geraldo Sarno
'Coronel Delmiro Gouveia', de Geraldo Sarno
Conversa com o diretor após a sessão
19h50 - Mostra João Pedro Rodrigues
'O Fantasma', de João Pedro Rodrigues.
Conversa com o diretor após a sessão.


SALA WALTER DA SILVEIRA
14h - Panorama Brasil
'Estado de Sítio', de André Novais Oliveira, Gabriel Martins, Flávio C. Von Sperling, João Toledo, Leonardo Amaral, Leo Pyrata, Maurílio Martins, Samuel Marotta.
16h - Panorama Brasil
'Mulher à Tarde', de Affonso Uchoa.

SÁBADO (20/08)

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 2
18h – Competitiva Nacional II
'Mens Sana In Corpore Sano', de Juliano Dornelles
'Permanências', de Ricardo Alves Júnior
'O Céu Sobre Os Ombros', de Sérgio Borges
Conversa com os diretores após a sessão
21h – Competitiva Nacional III
'Canoa Quebrada', de Guile Martins
'Oma', de Michael Wahrmann
'Laura', de Fellipe Gamarosa
Conversa com os diretores após a sessão

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 3
13h – Competitiva Nacional I
'Ela morava na frente do cinema', de Leonardo Lacca
'Uma Primavera', de Gabriela Amaral
'Trabalhar Cansa', de Juliana Rojas e Marco Dutra
Exibição fora de competição.
15h40 – Mostra João Pedro Rodrigues
'Morrer como um homem', de João Pedro Rodrigues
18h10 – Sessão Cineclube
'O Sopro no Coração' (Le Souffle au Coeur), de Louis Malle
20h20 – Première Brasil
'Os Monstros', de Guto parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti
Conversa com Luiz Pretti após a sessão.


SALA WALTER DA SILVEIRA
14h – Panorama Brasil
'Carnavale', de Carla Laudari
16h – Competitiva Baiana I
'Lemon Lips', de Marccela Vegah
'Dalva', de Filipe Wenceslau.
'Chapeuzinho', de Rafael Jardim
'A morte de D.J em Paris', de Igor Penna
Olho de Boi, de Diego Lisbo

DOMINGO (21/08)

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 2
18h – Competitiva Nacional IV
'Cellphone', de Daniel Lisboa
'Adormecidos', de Clarissa Campolina
'Avenida Brasília Formosa', de Gabriel Mascaro
Conversa com os diretores após a sessão
20h30 – Competitiva Nacional V
'O Menino Que Colhia Cascas', de Joacélio Batista
'A Amiga Americana', de Ivo Lopes e Ricardo Pretti
'A Alegria', de Felipe Bragança e Marina Meliande
Conversa com os diretores após a sessão


ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 3

14h – Competitiva Nacional II
'Mens Sana in Corpore Sano', de Juliano Dornelles
'Permanências', de Ricardo Alves Júnior
'O Céu Sobre Os Ombros', de Sérgio Borges
16h20 – Panorama Internacional
'Verão de Golias' (Verano de Goliah), de Nicolás Pereda
17h50 – Homenagem à Geraldo Sarno
'Viramundo', de Geraldo Sarno
'O Último Romance de Balzac', de Geraldo Sarno
Conversa com o diretor após a sessão
20h30 – Sessão 5 Anos DocDoma Filmes
'Na Terra do Sol', de Lula Oliveira
'Vermelho Rubro do Céu da Boca, de Sofia Federico
'Paralelos', de Alexandre Basso
'Premonição', de Pedro Abib
Conversa com os diretores após a sessão

SALA WALTER DA SILVEIRA
14h - Panorama Brasil
'Leite e Ferro', de Cláudia Priscilla
16h – Competitiva Baiana II
'Tragédia do Tamanduá', de George Neri
'Pérola do Semiárido', Igor Souto
'Os Martinez', Violeta Martines
'Corte Seco', Matheus Vianna
'Curandeiros do Jarê', Marcelo Abreu Góis

SEGUNDA-FEIRA (22/08)

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 2
18h – Mostra João Pedro Rodrigues
'Odete', de João Pedro Rodrigues
Conversa com o diretor após a sessão
20h30 – Competitiva Nacional VI
'Número Zero', de Claudia Nunes
'Raz', de André Lavaquial
'Trampolim Do Forte', de João Rodrigo Mattos
Conversa com os diretores após a sessão


ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 3

14h – Competitiva Nacional V
'O Menino Que Colhia Cascas', de Joacélio Batista
'A Amiga Americana', de Ivo Lopes e Ricardo Pretti
'A Alegria', de Felipe Bragança e Marina Meliande
16h40 – Competitiva Nacional III
'Canoa Quebrada', de Guile Martins
'Oma', de Michael Wahrmann
'Laura', de Fellipe Gamarosa
18h20 – Competitiva Baiana I
'Lemon Lips', de Marccela Vegah
'Dalva', de Filipe Wenceslau
'Chapeuzinho', de Rafael Jardim
'A morte de D.J em Paris', de Igor Penna
'Olho de Boi', de Diego Lisboa
Conversa com os diretores após a sessão
20h10 – Panorama Internacional
'A Vida Útil' (La Vida Útil), de Federico Veiroj
21h30 – Mostra Coisa Linda de Cinema – Sessão Marcha
'O Amor do Palhaço', de Armando Praça
'Sexo e Claustro', de Cláudia Priscila
'Os Sapatos de Aristeu', de René Guerra
'Eu Não Quero Voltar Sozinho', de Daniel Ribeiro

SALA WALTER DA SILVEIRA
14h – Panorama Brasil
'Futebol de Várzea', de Marc Dourdin
16h00 – Mostra Coisa Linda de Cinema – Sessão Brilho
'Homem Ave', de Rafael Saar
'Doce e Salgado', de Chico Lacerda
'Lua Verde', de Simon Paetau
'Rasga Minha Roupa', de Luffe Steffen
'A Mona do Lotação', de Daniel Ribeiro e Eduardo Mattos
'Tá', de Felipe Sholl
17h30 – Panorama Brasil
'Morada', de Joana Oliveira

TERÇA-FEIRA (23/08)

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 2
18h – Mostra João Pedro Rodrigues
'O Fantasma', de João Pedro Rodrigues
Conversa com o diretor após a sessão
20h15 – Competitiva Nacional VII
'Lindeiras', de Bruno Saphira
'Náufragos', de Gabriela Amaral Almeida e Matheus Rocha
'Transeunte', de Eryk Rocha
Conversa com os diretores após a sessão

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 3

14h – Competitiva Nacional VI
'Número Zero', de Claudia Nunes
'Raz, de André Lavaquial
'Trampolim Do Forte', de João Rodrigo Mattos
16h30 – Competitiva Nacional IV
'Cellphone, de Daniel Lisboa
'Adormecidos', de Clarissa Campolina
'Avenida Brasília Formosa', de Gabriel Mascaro
18h30 – Competitiva Baiana II
'Tragédia do Tamanduá', de George Neri
'Pérola do Semiárido', Igor Souto
'Os Martinez', Violeta Martines
'Corte Seco', Matheus Vianna
'Curandeiros do Jarê', Marcelo Abreu Góis
Conversa com os diretores após a sessão
20h45 - Panorama Internacional
'A Serbian Film', de Srdjan Spasojevic

SALA WALTER DA SILVEIRA

14h Panorama Brasil
'Luzeiro Volante', de Tavinho Teixeira
15h20 Homenagem Geraldo Sarno
'Coronel Delmiro Gouveia', de Geraldo Sarno
17h10 – Mostra Coisa Linda de Cinema – Sessão Marcha
'O Amor do Palhaço', de Armando Praça
'Sexo e Claustro', de Cláudia Priscila
'Os Sapatos de Aristeu', de René Guerra
'Eu Não Quero Voltar Sozinho,' de Daniel Ribeiro


QUARTA-FEIRA (24/08)

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 2
18h - Competitiva Nacional VIII
'Praça Walt Disney', de Renata Pinheiro e Sergio Oliveira
'A Dama Do Peixoto', de Douglas Soares e Allan Ribeiro
'Vigias', de Marcelo Lordello
Conversa com os diretores após a sessão.
20h30 – Première Brasil
'Jardim Das Folhas Sagradas', de Pola Ribeiro

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 3
14h – Competitiva Nacional VII
'Lindeiras', de Bruno Saphira
'Náufragos', de Gabriela Amaral Almeida e Matheus Rocha
'Transeunte', de Eryk Rocha
17h – Mostra João Pedro Rodrigues
'Odete', de João Pedro Rodrigues
'Além da estrada', de Charly Braun
Conversa com o diretor após a sessão
21h10 – Mostra Coisa Linda de Cinema – Sessão Brilho
'Homem Ave', de Rafael Saar
'Doce e Salgado', de Chico Lacerda
'Lua Verde', de Simon Paetau
'Rasga Minha Roupa', de Luffe Steffen
'A Mona do Lotação', de Daniel Ribeiro e Eduardo Mattos
'Tá', de Felipe Sholl

QUINTA-FEIRA (25/08)

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 2

18h – Sessão Cineclube
'Após a reconciliação' (Après la réconciliation), de Anne-Marie Mieville

19h30 – Première Brasil
'Contagem', de Gabriel Martins e Maurílio Martins
'Riscado', de Gustavo Pizzi. RJ, 85’, cor, digital, 2010.
Conversa com os diretores após a sessão.
21h45 – Premiação.

ESPAÇO UNIBANCO DE CINEMA – SALA 3


13h - Competitiva Nacional VIIIPraça Walt Disney, de Renata Pinheiro e Sergio Oliveira
'A Dama Do Peixoto', de Douglas Soares e Allan Ribeiro
'Vigias', de Marcelo Lordello
15h - Homenagem à Geraldo Sarno
'Viramundo', de Geraldo Sarno
'O Último Romance de Balzac', de Geraldo Sarno
17h10 – Panorama Internacional
'Verão de Golias' (Verano de Goliah), de Nicolás Pereda
18h40 - Panorama Internacional
'Caminho Para o Nada' (Road To Nowhere), de Monte Hellman
21h10 - Panorama Internacional
'A Serbian Film', de Srdjan Spasojevic


ENCONTROS E DEBATES

O resultado dos encontros e debates se transformarão em um livro a ser publicado e distribuído para escolas, cineclubes e pontos de cultura por todo o Brasil.

O cinema de João Pedro Rodrigues

Dia 19/08, sexta-feira, 11h, Sala 3 do Espaço Unibanco de Cinema - Glauber Rocha

Conversa com o cineasta português João Pedro Rodrigues, convidado do VII Panorama Internacional Coisa de Cinema, que exibe os três longas do diretor: O Fantasma, Odete e Morrer como um Homem, filmes que partem do real para atingir o fantástico, numa busca por colocar o corpo e o desejo no cinema.

Mediação: Cláudio Marques.

A trajetória da produtora Sara Silveira

Dia 20/08, sábado, 11h, Sala 3 do Espaço Unibanco de Cinema - Glauber Rocha

Bate papo com Sara Silveira, uma das mais atuantes produtoras brasileiras. Fundadora, em parceria com Carlos Reichenbach, da Dezenove Som e Imagens, Sara investe num cinema autoral e independente. Produziu, entre outros, Cinema Aspirinas e Urubus, de Marcelo Gomes, Durval Discos e É Proibido Fumar, de Anna Muylaert e, recentemente, Trabalhar Cansa, o primeiro longa de Juliana Rojas e Marco Dutra.

Mediação: Cláudio Marques

Quando a relação diretor x personagem vira filme

Dia 21/08, domingo, 10h, Sala 3 do Espaço Unibanco de Cinema - Glauber Rocha

O documentário contemporâneo vem incorporando as negociações, desejos e intenções entre diretor e personagens aos filme.

Convidados: Fellipe Gamarosa (Diretor de Laura) e Michael Wahrmann (diretor de Oma).

Mediação: Mohamed Bamba, professor de cinema da UFBA.

O cinema de gênero no Brasil

Dia 21/08, domingo, 11h, Sala 3 do Espaço Unibanco de Cinema - Glauber Rocha

Novas produções apontam um caminho até então pouco explorado no cinema brasileiro. Trata-se de filmes que desafiam as convenções do realismo e flertam com o suspense, o terror e o sobrenatural.

Convidados: Marco Dutra (diretor de Trabalhar Cansa) e Gabriela Amaral (diretora de Náufragos e Uma Primavera).

Mediação: Adolfo Gomes, crítico de cinema e programador da Sala Walter da Silveira.

O Coletivo no Cinema

Dia 22/08, segunda-feira, 11h, Sala 3 do Espaço Unibanco de Cinema - Glauber Rocha

Mesa de debate com realizadores, de diferentes estados, que viabilizam suas produções através dos coletivos de cinema.

Convidados: Clarissa Campolina (Teia, MG), João Rodrigo (Docdoma Filmes, BA), Leonardo Lacca (Trincheira, PE) e Luiz Pretti (Alumbramento, CE).

Mediação: João Carlos Sampaio, jornalista e crítico de cinema.

Cinema de Ator

Dia 23/08, terça-feira, 11h, Sala 3 do Espaço Unibanco de Cinema - Glauber Rocha
Bate-papo com o ator pernambucano Irandhir Santos, que destaca-se em inúmeros filmes brasileiros, entre eles Tropa de Elite 2 e Cinema, Aspirinas e Urubus. Recentemente, Irandhir ganhou o prêmio de melhor ator no Festival de Cinema de Paulínia, 2011, com Febre do Rato, de Cláudio Assis.

Mediação: Cláudio Marques

O lugar da Política no Cinema

Dia 24/03, quarta-feira, 11hs, Sala 3 do Espaço Unibanco de Cinema Glauber Rocha

Uma conversa sobre política e cinema, com Geraldo Sarno e Eryk Rocha.

Mediação: Cláudio Marques

Ingressos:
R$ 10 e R$ 5
Passaporte – R$ 30 (para assistir 10 filmes)
*Serão disponibilizados 30 passaportes.

Margaridas em fotos

Letícia Sabatela, para ilustrar o comentário de Simoa na postagem
 anterior; nossa ariz, engajada nas causas sociais, falou realmente
 com a voz tolhida pela emoção (A foto e as duas seguintes
 são de Isabela Lyrio)
Rumo à Praça dos Três Poderes; o cartaz carregado pelas margaridas
é a figura de Margarida Alves, sindicalista paraibana assassinada
há 28 anos; está no cartaz: "Somos todas Margaridas"
(Foto: Regina Santos)

As margaridas, de novo, em dose dupla



Marcha das Margaridas – Alô pilheiros/pilheiras!

Diretamente da Cidade das Margaridas, no imenso Parque da Cidade, na secura do Cerrado de Brasília (na segunda-feira foi recorde a tal umidade relativa do ar, no caso, a falta dela, só 10%), vai um alô aos pilheiros e pilheiras da nossa Bahia.

Foi iniciada ontem, terça, a marcha das ditas “margaridas” – o nome é homenagem a Margarida Alves, sindicalista da Paraíba assassinada há 28 anos porque lutava contra os senhores da terra e da vida, os latifundiários. Milhares de trabalhadoras rurais de todo o país estão por aqui para apresentar suas reivindicações ao governo federal, sob o lema "desenvolvimento sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade". É a quarta marcha. Hoje haverá passeata pela Esplanada dos Ministérios e é esperada a visita da presidenta Dilma aqui pelo acampamento.

Muita aporrinhação com o acesso à Internet, não consegui postar aqui nem vídeo, nem foto. Postei dois vídeos no Evidentemente, mas parece que antes de aprender já estou desaprendendo, o áudio está uma merda. Um vídeo é um pequeno registro da abertura oficial do evento e o outro é uma mini-entrevista sobre participação política.

Nos vemos, beijos, abraços.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Pilha na Marcha das Margaridas


O Pilha programou cobertura especial da Marcha das Margaridas, que começou hoje (16), em Brasília.  O nosso correspondente internacional mais bem pago, Jadson Oliveira, está na capital federal desde o domingo passado para acompanhar a Marcha, que segue até amanhã, 17, já conquistou a simpatia das coordenadoras e ganhou pulseira do evento, que dá direito à refeições e alojamento.   

A Marcha das Margaridas é uma ação estratégica das mulheres para conquistar visibilidade, reconhecimento social e político e cidadania plena.  O movimento, neste ano em sua 4ª edição, tem como lema Desenvolvimento Sustentável com Justiça, Autonomia, Igualdade e Liberdade,  reúne as mulheres trabalhadoras do campo, que  lutam por  políticas públicas que dêem fim as desigualdades sociais.
A Marcha das Margaridas é coordenada pelo Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, composto pela Confederação Nacional de Trabalhadores na Agricultura – Contag.  Não perca a nossa cobertura

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Saga

Saga

Filipe Catto

Composição: Filipe Catto
Andei depressa para não rever meus passos
Por uma noite tão fulgás que eu nem senti
Tão lancinante, que ao olhar pra trás agora
Só me restam devaneios do que um dia eu vivi
Se eu soubesse que o amor é coisa aguda
Que tão brutal percorre início, meio e fim
Destrincha a alma, corta fundo na espinha
Inebria a garganta, fere a quem quiser ferir
Enquanto andava, maldizendo a poesia
Eu contei a história minha pr´uma noite que rompeu
Virou do avesso, e ao chegar a luz do dia
Tropecei em mais um verso sobre o que o tempo esqueceu
E nessa Saga venho com pedras e brasa
Venho com força, mas sem nunca me esquecer
Que era fácil se perder por entre sonhos
E deixar o coração sangrando até enlouquecer
E era de gozo, uma mentira, uma bobagem
Senti meu peito, atingido, se inflamar
E fui gostando do sabor daquela coisa
Viciando em cada verso que o amor veio trovar
Mas, de repente, uma farpa meio intrusa
Veio cegar minha emoção de suspirar
Se eu soubesse que o amor é coisa assim
Não pegava, não bebia, não deixava embebedar
E agora andando, encharcado de estrelas
Eu cantei a noite inteira pro meu peito sossegar
Me fiz tão forte quanto o escuro do infinito
E tão frágil quanto o brilho da manhã que eu vi chegar
E nessa Saga venho com pedras e brasa
Venho sorrindo, mas sem nunca me esquecer
Que era fácil se perder por entre sonhos
E deixar o coração sangrando até enlouquecer

Ao meu pai querido


Naquela Mesa

Nelson Gonçalves

Composição: Sérgio Bittencourt

Naquela mesa ele sentava sempre
E me dizia sempre o que é viver melhor
Naquela mesa ele contava histórias
Que hoje na memória eu guardo e sei de cor
Naquela mesa ele juntava gente
E contava contente o que fez de manhã
E nos seus olhos era tanto brilho
Que mais que seu filho
Eu fiquei seu fã
Eu não sabia que doía tanto
Uma mesa num canto, uma casa e um jardim
Se eu soubesse o quanto dói a vida
Essa dor tão doída, não doía assim
Agora resta uma mesa na sala
E hoje ninguém mais fala do seu bandolim
Naquela mesa ta faltando ele
E a saudade dele ta doendo em mim
Naquela mesa ta faltando ele
E a saudade dele ta doendo em mim

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Filhos de João (Gilberto)

André Setaro, professor e crítico de cinema, e Henrique Dantas, diretor do documentário Filhos de João - O Admirável Mundo Novo Baiano, em bate-papo com a plateia logo após a exibição do filme, ontem (quarta) à noite, no CineCena Unijorge, Shopping Itaigara. O "João" é o nosso sempre elogiadíssimo João Gilberto, baiano de Juazeiro, considerado um dos três iniciadores da Bossa Nova, o único ainda vivo, com 80 anos (os outros dois são Tom Jobim e Vinicius de Moares).

João Gilberto é referido no filme pelos entrevistados - com destaque para o exuberante/popular/erudito Tom Zé - como uma espécie de pai musical/espiritual dos Novos Baianos, que são retratados, em meio a lindas canções, no berço, no apogeu/explosão do sucesso e se dissolvendo. (A nota triste/decepcionante fica para a ex-Baby Consuelo, hoje Baby Brasil, que, depois de longo depoimento, desautorizou a inclusão no filme).

Parte da renda da exibição de ontem será (ou foi) destinada ao querido André Setaro, que está passando momentos difíceis, como já se referiu aqui o nosso Pilha Pura.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Trilogia de André Setaro

AVISO do professor André Setaro:

Quem se interessar em adquirir o meu box de três livros chamado "Escritos sobre Cinema: Trilogia de um tempo crítico" pode se comunicar comigo no telefone 88067572 ou pelo e-mail setaro@gmail.com
O preço, promocional, é de 60 reais.

Infelizmente, nosso mestre de cinema Setaro está atravessando uma fase bem braba e precisando da ajuda dos muitos amigos e admiradores. Ele abriu o coração pelo facebook e pediu mesmo uma força pra sair do atoleiro e poder retomar o plano de saúde, pois está com a saúde bem abalada (é hipertenso e diabético). Muitas ideias já pintaram e estão sendo planejadas, mas enquanto isso quem puder ajudar tem a opção de comprar os livros ou depositar alguma quantia na conta poupança dele.

Seguem os dados e o apelo publicados pelo próprio Setaro:

ATENÇÃO AMIGOS! Quero agradecer àqueles que já depositaram em minha conta, que contribuíram para a diminuição de meu astronômico saldo devedor, mas ressaltar que o Banco do Brasil 'chupa' o dinheiro. Para que possa recebê-lo, peço, com o coração nas mãos, que o depósito seja feita na CONTA POUPANÇA. Agência: 3457-6. Conta: 648.427-1. VARIÁVEL: 01 Em nome de ANDRÉ OLIVIERI SETARO. Muito obrigado.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

A noite em que o famoso percussionista "rabo de violão" foi rechaçado (ficção e realidade)

Jadson, imitando Tibério na percussão, e Palito,
que deu um chega-pra-lá no percussionista
De Salvador (Bahia) – Ficou a lenda segundo a qual os empresários seabrenses Chico e João Miranda teriam sido testemunhas privilegiadas da memorável noite em que o famoso percussionista Tibério Pithon, também empresário bem sucedido nas horas vagas, recebeu o mais contundente rechaço de que se tem notícia naquelas bandas da Chapada Diamantina, bela paisagem do interior baiano. Os dois foram as principais fontes de informação da TV Estelar, que anos mais tarde reconstituiu os feitos, a esta altura já lendários, em uma exitosa série especial de 10 capítulos, com o título acima. Clique aqui para continuar.

Cansei. Agora, sou Agro



Por Leonardo Sakamoto


Empresas e entidades ligadas ao agronegócio lançaram, esta semana, uma grande campanha de mídia para tentar reverter a imagem negativa do setor, contando com atores como Lima Duarte e Giovana Antonelli. O Movimento de Valorização do Agronegócio Brasileiro – Sou Agro envolve também a produção de notícias e o desenvolvimento de pesquisas. A verdade é que, para mudar a imagem do agronegócio, que não vai lá muito bem com os recentes assassinatos de trabalhadores rurais, a tratorada sobre o Código Florestal, o trabalho escravo velho de guerra, noves fora os problemas de sempre, vai ser necessário uma campanha muito longa.


Quando o Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros (lembram do “Cansei”?), organizado pela OAB-SP e parte rechonchuda da elite brasileira, foi lançado tive a mesma sensação estranha que estou tendo agora com o Sou Agro. A de que soa como algo que quer fazer com que você defenda interesses específicos pensando lutar pelo interesse nacional, passando por cima de algumas verdades. Que, muito provavelmente, não estarão na boca do Lima e da Giovana.

O Brasil não conseguiu garantir padrões mínimos de qualidade de vida aos seus trabalhadores rurais, principalmente aqueles em atividades vinculadas ao agronegócio monocultor e exportador em área de expansão da fronteira agrícola. Ocorrências de trabalho escravo, infantil e degradante, superexploração do trabalho, remuneração insuficiente para as necessidades básicas são registradas com freqüência. Prisões, ameaças de morte e assassinatos de lideranças rurais e membros de movimentos sociais que reagem a esse quadro também são constantes e ocorrem quase semanalmente. A estrutura fundiária extremamente concentrada também funciona como uma política de reserva de mão-de-obra, garantindo sempre disponibilidade e baixo custo da força de trabalho para as grandes propriedades rurais.


Parte do agronegócio brasileiro ainda não consegue operar com práticas sustentáveis, fazendo com que o meio ambiente sofra as conseqüências do desmatamento ilegal, da contaminação por agrotóxicos, do assoreamento e poluição de cursos d’água, entre outros. Da mesma forma, para a ampliação da área cultivável ou no intento de viabilizar grandes projetos há um histórico de expulsão de comunidades tradicionais, sejam elas de ribeirinhos, caiçaras, quilombolas ou indígenas, que ficou mais intensa com a colonização agressiva da região amazônica a partir da década de 70. Esse tipo de ação tem sido sistematicamente denunciado pelos movimentos sociais brasileiros às organizações internacionais – Belo Monte que o diga...



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Exemplo de superação do atleta baiano Ricardo Serravalle no blog Bora Treinar

http://www.boratreinar.com.br/?p=226

Vejam nesse depoimento ao blog esportivo Bora Treinar o exemplo de superação desse atleta baiano por meio do esporte. Ele tem um projeto bem interessante, que pode ser consultado no seu blog pessoal, o http://ricardoserravalle.blogspot.com/.

Arquivo do blog