Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

é só pilha !!!

T^^o 'deveno' à Daquinha, quase queimando meu filme, mas hoje vou ser curto e grosso, no melhor estilo do empilhamento:
O Vasco cortou mesmo a do Corinthians___!!!
E o Bahia, q botou Neymar e Santos pra correr atrás,
deixou na ira o Vitorinha, q tá mesmo de Segunda...!!!
num falei ??? é só Pilha, Pura !!!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Pilheira boa de conta


A filhota ganhou troféu, certificado e  meia bolsa para 2012 
Parabéns para a pilheirinha Ana Carolina, classificada em segundo lugar nas Olímpiadas da Matemática do Colégio ISBA. Aluna da 5ª série
(6º ano), ela concorreu inclusive com
alunos da 6ª  série (7º  ano), dentre os quais saiu o primeiro lugar, Vitor Eduardo.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A NOVA ONDA NO AR

video
ESSE É O CARA! BAIANO JÁ NASCE ARTISTA. OBSERVEM É SILVA MEU PRIMO, BOCA DE ZERO NOVE. E OS CABELOS IGUAIS AOS MEUS. CAMPEÃO DE ACESSOS. ALÉM DO MAIS A COREOGRAFIA DEIXA FERNANDO MARINHO NO CHULÉ




Mântryco Mantrii Metron - Om Ram - "& Silva o Eco da Boca de !Zero Nove"

Música que expõe a profunda significação dos numeros, que vai do gênesis ao apocalipse!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

De Genebra/Suíça, no clic de Deta Maria

Acampamento no parque da Universidade de Genebra
Indignados - O ser humano antes do lucro
A charmosa Genebra também no circuito dos "indignados" - clique para ler no Evidentemente.

domingo, 20 de novembro de 2011

Desconvensamba dos Jornalistas

Rita, Beto e Carmel
 Depois da Convenção do Caruru, jornalistas baianos se encontraram no maior climão de alegria no terraço da Associação Baiana de Imprensa (ABI), desta vez no evento que a nossa amiga aqui do pilha, a cantora, compositora e jornalista Rita Tavares, abatizou de Desconvemba dos Jornalistas.

Esse segundo encontro, na tarde de  sábado (19/11),, organizado pela comissão formada por Ernesto Marques, vice-presidente da ABI, Rita e Alberto Freitas,  como sugere o título, foi regado a muito samba levado por Rita, Carmel e algumas canjas.
Rita e Hildete Santos, afinadíssimas
Aldo Tripodi cumpre o prometido e me presenteia
 com o seu livro sobre a obra de Sante Scaldaferri
Alberto Freitas, Péricles Diniz , Manoel Porto e o engenheiro Pedro Rocha






Péricles e a sua Bela Ju (Juciara), autora de parte das fotos
Plateia atenta
O charme e a alegria de Socorro Araújo
Sem comentários


Na janela do crime: Isana Pontes e Carmel colados
 no isopor das piriguetes geladíssimas

Beto, soltinho, soltinho, acompanha as moças

Márcia Barros acompanha com chucalho

Cau e Carmel

Ernesto feliz com o chapeu novo presenteado por Manoel Porto

Patrícia e eu paparicando Beto

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

"Casei com um homem e me separei de outro"

A deputada Maria Luiza fez um bafafá,  lavou a roupa suja na rua e deixou o prefeito em maus lençóis.
Veja página dela no Facebook e o discurso abaixo, gravado e transcrito. 



O DISCURSO DE MARIA LUIZA

SR. PRESIDENTE,
SRS. DEPUTADOS E DEPUTADAS,
FUNCIONÁRIOS DESSA CASA, TELEOUVINTES DA TV ASSEMBLÉIA E DEMAIS PRESENTES.
Sras. e Srs.

Poucas pessoas se dão conta de que a vida é uma constante superação de obstáculos e uma imensidão de desafios e não podemos desistir de forma antecipada. Porém, nada é tão torturante quanto à dor, pela acusação do que não se fez.

Venho adiando para tomar a decisão de falar, e assim tenho me prejudicado.
Venho a essa tribuna para esclarecer alguns fatos que julgo relevantes e serei minunciosa. Vivi um casamento de 27 anos, enfrentei períodos de crise, mas também de felicidade e o fruto disso são os meus 2 filhos. Na última crise, após um longo período de desgaste, sugeri uma reflexão do relacionamento ao meu esposo, João Henrique. Acreditava estar buscando a harmonia e a cumplicidade do nosso relacionamento.

Retornando de uma viagem, sete dias depois, tomei conhecimento do relacionamento extra-conjugal de João Henrique com a sub-secretária de Saúde, Dra. Tatiana Paraíso.

No subterrâneo do Tomé de Souza, tudo acontece até hoje ás escondidas, em segredo. E foi para
restabelecer a minha honra, que levei ao conhecimento público a separação do nosso casamento.
Pacientemente, venho assistindo a um bombardeio de blasfêmias sobre minha pessoa.

Recentemente, a revista Época, divulgou uma nota, falando sobre o ¨caso¨ dele e acusando-me de ter um ¨caso¨ com alguém da Casa Militar.

Esperei alguns dias, na esperança de ouvir um pronunciamento, uma manifestação, uma defesa dele. E como sempre, nada foi dito.

Para mim é importante dizer, que não me sentiria ofendida se fosse verdade, pelo contrário, assumiria o meu erro e me recolheria silenciosamente. Tais comentários já aconteceram antes e mantive a tranquilidade e desconsiderei por julgar absurdo.

Mas, nunca tive e não tenho, nenhum caso. Sempre conduzi a minha vida de forma coerente com os meus princípios morais e religiosos.

Houve sim uma terceira pessoa, mas está com ele. Tatiana, é uma pessoa que conheço do nosso convívio e frequentava a nossa casa, era quem o medicava com frequência. Era casada, na época e recentemente se separou para selar a união com João Henrique. Nada tenho contra ela, nada tenho contra ele, tenho sim 2 filhos com ele, e desejo felicidades ao casal.

O que me ofende nesse caso, é o jogo feito por ele. Não permitirei ser usada num jogo baixo de poder... Não permitirei que a verdade seja encoberta, que eu leve a fama sem culpa, por conveniências de qualquer espécie. Percebo que tentam confundir as pessoas, para desviar o foco e o possível julgamento do erro dele. Eu entrei e saí dessa relação de forma honesta, correta, integra e transparente. Ele sabe disso e é bom que ele diga. Se é que ele fala...

Não tenho porque baixar a cabeça. As maledicências não me intimidam, não vou me afastar dos amigos, das pessoa que estimo e respeito. Tenho coragem e caráter para assumir os meus atos e não vou admitir que queiram distorcer a verdade, para salvaguardar a imagem dele, maculando a minha. Isso é covardia! Aconselho, responsabilidade e juízo... Enquanto é tempo...

Falam também, sobre uma possível jogada política, para que eu possa me candidatar a sucessão da Prefeitura. Isso também é mentira. Não tenho pretensões políticas para as próximas eleições. E não se brinca com um assunto tão sério e delicado! Quero concluir o meu mandato político e o futuro, entrego à Deus.

Em resumo: pedi um tempo e levei um susto! A separação foi consequência da traição dele e é fato concreto e irrevogável. Essa é a verdade! Protesto contra a enganação, a dissimulação, o desvio de caráter, a covardia e a conveniência, que lhe é pertinente. O prefeito vive um tempo regressivo, que inspira cuidados e cautela... Não o julgo, porque não cuspo no prato que como, mas peco-lhe que conduza esse processo com maturidade e consciência!

Percebo o bloqueio da imprensa diante desse assunto. Respeito os meios de comunicação e sei que é contra a lei falar da vida pessoal, por isso entendo tal atitude. Motivo pelo qual, utilizo esse espaço para restabelecer a minha verdade! Casei com um homem e me separei de outro, alguém que desconheço.
Estou sentada de frente, com garra e coragem, procuro ficar na altura da vida, tendo a sabedoria como auxílio e a paciência como aliada.

Para finalizar, quero dizer que daqui para frente vou viver a minha vida, sou livre, posso me relacionar com quem quiser, inclusive com os acusados, mas não sou leviana. Vou me dedicar ao meu trabalho, por que pretendo resgatar o meu mandato com compromisso, responsabilidade e transparência, correspondendo à altura aos meus eleitores. Já sofri o bastante!

Só peço às pessoas: respeito. Porque costumo dar! O meu assunto é com João Henrique e não aceito intermediários.

Acredito na instituição casamento como a base da família e o resultado do amor entre duas pessoas!

Agradeço aos pastores e pastoras, bispos, amigos e irmãos da igreja, que alimentam a minha Fé em Deus, a minha força. São pessoas especiais que fazem a diferença na minha vida!

Prometo: Ainda vou surpreender muita gente! Só desejo PAZ e JUSTIÇA! Que DEUS abençoe a todos!

Sr. Presidente, peço que me libere nesse momento para que possa me refazer de tal constrangimento. Obrigada!


PS:Ela separou. Nós, cidadãos de Salvador, ainda temos que aguentá-lo até 2012

O nascimento de Joicy

Vejam que reportagem massa do Jornal do Comércio (PE)
http://www2.uol.com.br/JC/especial/joicy/

Poesia no buzu

Um poeta (não lembro o nome) hoje no buzu, depois de declamar poesias de sua autoria, deu uma aula sobre o tema e até ajudou a passar o tempo no engarrafamento.

Pegou como gancho a música “Cavalgada”, gravada por Roberto Carlos, e comparou com trechos "semelhantes" de músicas (se é que se pode chamar assim) de pagodão.

Por exemplo:
 “Usar meus beijos como açoite” / “Chupa toda...”;

“E a minha mão mais atrevida” / “Pega na minha e balança”;

“Vou me agarrar aos seus cabelos, pra não cair do seu galope” / “Toda enfiada”......

Fez o maior sucesso no buzão e faturou uma graninha

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Finalmente o sol

O feriadão foi muito bom, com sol (finalmente) e a presença da comadre/chefinha. Liz e Naninha se esbaldaram e nós tomamos toooodas. Farras, muuuuuuuitas farras. Ipitanga e os bairros que fazem fronteira   (como diria Irêpinga) nunca mais serão os mesmos.
Valeu, companheira! Amamos a companhia.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O bicho tá pegando em Ipitanga


Socorro prefeita Moema (que é quem manda mesmo aqui nessa zorra e não JH), as ruas de Ipitanga estão dissolvendo com tanta água. O rio tá quase transbordando, se continuar chovendo só sairemos de casa de barco.

Já que a prefeitura de Salvador se acha no direito de derrubar as barracas de praia e depois largar os entulhos por lá, colocando em risco os frequentadores, devia fazer uma gracinha e botar um asfalto novo por aqui.

Como é que chega no trabalho, depois de passar por isso aí (de a pés), com sapatos e barras de calça limpos??? O bicho tá pegando!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

De mulher para mulher (e para homem também)

Pedindo licença para compartilhar aqui umas dicas  interessantes, que apesar de dirigidas às mulheres (e eu pensei especialmente nas amigas quando resolvi postar esse texto de Leila Ferreira), serve também para os homens, para que eles procurem nos ver e nos compreender, se é que isso é possível.

Se eu tivesse que escolher uma palavra
- apenas uma -
para ser item obrigatório no vocabulário da mulher de hoje,
essa palavra seria um verbo de quatro sílabas:
descomplicar.

Depois de infinitas (e imensas) conquistas,
acho que está passando da hora de aprendermos
a viver com mais leveza:
exigir menos dos outros e de nós próprias,
cobrar menos, reclamar menos, carregar menos culpa,
olhar menos para o espelho.

Descomplicar talvez seja o atalho mais seguro para chegarmos à tão
falada qualidade de vida que queremos - e merecemos - ter.

Mas há outras palavras que não podem faltar no kit existencial
da mulher moderna.

Amizade, por exemplo.
Acostumadas a concentrar nossos
sentimentos (e nossa energia...) nas relações amorosas,
acabamos deixando as amigas em segundo plano.
E nada, mas nada mesmo, faz tão bem para uma mulher
quanto a convivência com as amigas.
Ir ao cinema com elas
(que gostam dos mesmos filmes que a gente),
sair sem ter hora para voltar,
compartilhar uma caipivodca de morango
e repetir as histórias que já nos contamos mil vezes
- isso, sim, faz bem para a pele.
Para a alma, então, nem se fala.
Ao menos uma vez por mês, deixe o marido ou o namorado em casa, prometa-se que não vai ligar para ele nem uma vez
(desligue o celular, se for preciso)
e desfrute os prazeres que só uma
boa amizade consegue proporcionar.
E, já que falamos em desligar o celular, incorpore ao seu vocabulário
duas palavras que têm estado ausentes do cotidiano feminino:
pausa e silêncio.

Aprenda a parar, nem que seja por cinco minutos,
três vezes por semana, duas vezes por mês, ou uma vez por dia
- não importa -
e a ficar em silêncio.
Essas pausas silenciosas nos permitem refletir,
contar até 100 antes de uma decisão importante,
entender melhor os próprios sentimentos,
reencontrar a serenidade e o equilíbrio quando é preciso.
Também abra espaço, no vocabulário e no cotidiano, para o verbo rir.
Não há creme anti-idade nem botox que salve a expressão
de uma mulher mal-humorada.
Azedume e amargura são palavras que devem ser banidas
do nosso dia a dia.
Se for preciso, pegue uma comédia na locadora,
preste atenção na conversa de duas crianças,
marque um encontro com aquela amiga engraçada
- faça qualquer coisa, mas ria.
O riso nos salva de nós mesmas,
cura nossas angústias e nos reconcilia com a vida.

Quanto à palavra dieta, cuidado:
mulheres que falam em regime o tempo
todo costumam ser péssimas companhias.
Deixe para discutir carboidratos
e afins no banheiro feminino ou no consultório do endocrinologista.
Nas mesas de restaurantes, nem pensar.
Se for para ficar contando calorias,
descrevendo a própria culpa e olhando para a sobremesa
do companheiro de mesa com reprovação e inveja,
melhor ficar em casa e desfrutar sua salada de alface
e seu chá verde sozinha.
Uma sugestão?
Tente trocar a obsessão pela dieta por outra palavra que,
essa sim, deveria guiar nossos atos 24 horas por dia:
gentileza.

Ter classe não é usar roupas de grife:
é ser delicada.
Saber se comportar
é infinitamente mais importante do que saber se vestir.
Resgate aquele velho exercício que anda esquecido:
aprenda a se colocar no lugar do outro,
e trate-o como você gostaria de ser tratada,
seja no trânsito, na fila do banco,
na empresa onde trabalha, em casa, no supermercado,
na academia.
E, para encerrar, não deixe de conjugar dois verbos que deveriam ser
indissociáveis da vida:
sonhar e recomeçar.
Sonhe com aquela viagem ao exterior, aquele fim de semana na praia,
o curso que você ainda vai fazer, a promoção que vai conquistar um dia, aquele homem que um dia (quem sabe?)
ainda vai ser seu, sonhe que está beijando o Brad Pitt ...
sonhar é quase fazer acontecer.
Sonhe até que aconteça.
E recomece, sempre que for preciso:
seja na carreira, na vida amorosa, nos relacionamentos familiares.
A vida nos dá um espaço de manobra:
use-o para reinventar a si mesma.
E, por último
(agora, sim, encerrando),
risque do seu Aurélio a palavra perfeição.
O dicionário das mulheres interessantes inclui fragilidades,
inseguranças, limites.

Pare de brigar com você mesma para ser a mãe perfeita,
a dona de casa impecável, a profissional que sabe tudo,
a esposa nota mil.

Acima de tudo, elimine de sua vida o desgaste que é tentar ter coxas sem celulite, rosto sem rugas, cabelos que não arrepiam,
bumbum que encara qualquer biquíni.
Mulheres reais são mulheres imperfeitas.
E mulheres que se aceitam como imperfeitas são mulheres livres.
Viver não é
(e nunca foi)
fácil, mas, quando se elimina o excesso de peso da bagagem
(e a busca da perfeição pesa toneladas),
a tão sonhada felicidade fica muito mais possível.

Leila Ferreira


PS: Gente, descobri que sou complicada: luto contra celulite, as rugas e por um bumbum razoável,  brigo comigo, me culpo,  vivo de dieta e já aborreci muito minhas amigas falando disso,  mas já parei com isso. Acho que ainda tenho salvação porque sonho, me reinvento e não abro mão do meu tempo com as amigas (Viva a Quinta sem Lei!). Pronto, falei.

Receita de vida saudável

A minha amiga médica, Dra. Silvia P. D'Água, tem uma receita infalível para assegurar saúde e qualidade de vida.  
Horários corretos para tomar Água
.
Tomar água na hora correta maximiza os cuidados no corpo humano:

2 copos de água depois de acordar ajuda a ativar os órgãos internos.
1 copo de água 30 minutos antes de comer ajuda na digestão.
1 copo de água antes de tomar banho ajuda a baixar a pressão sanguínea.
1 copo de água antes de ir dormir evita ataques do coração.
 Horários corretos para tomar CERVEJA

 De segunda a sexta após as 18 hs. Até aguentar...
 Sábados, Domingos e Feriados a partir das 10 hs, até cair ...

Entrou água

Ainda bem que o prefeito gosta de nadar
Cenas de Salvador na manhã de hoje, com a  forte chuva que transtornou tudo e a vida de todos.
Esportes radicais para superar uma situação caótica 


Rio Vermelho (Foto: Carmela)



Fotos:via FB

Que casal é esse? Um doce pra quem adivinhar

O churrasco é a única coisa que ele sabe cozinhar, e quando se propõe a realizá-lo, ocorre a seguinte cadeia de  acontecimentos:
            
 01 - Ela vai ao supermercado comprar o que é necessário.

02 - Ela prepara a salada, arroz, farofa,vinagrete e a sobremesa

03 - Ela tempera a carne e a coloca numa  bandeja com os talheres  necessários, enquanto ele está deitado próximo à churrasqueira, bebendo uma cerveja.
              
 04 - Ele coloca a carne na churrasqueira.

05 - Ela vai para dentro de casa para preparar a mesa e verificar o cozimento dos legumes.

06 - Ela diz ao marido que a carne está queimando.

07 - Ele tira a carne do fogo.

08 - Ela arranja os pratos e os põe na mesa.

09 - Após a refeição, ela traz a sobremesa e lava a louça.

10 - Ele pergunta a ela se apreciou não  ter que cozinhar e, diante do ar aborrecido dela, conclui que elas nunca estão satisfeitas....
      
      

sábado, 5 de novembro de 2011

Show dos "Beatles"

Ontem (desculpem pela postagem atrasada) foi o "show dos Beatles", com dois dos integrantes da Dasantiga Banda, Natan e Caputo, e dois alunos da 5ª série A, Marcos e Enzo. Teve várias músicas dos Beatles, claro, como Help! e Come Together, painéis, cartazes, fotos e muita gente filmando tuuudo. Aí eu pedi pra eles para tirar umas fotinhas pro Pilha, junto com as "fãs", que por acaso são minhas colegas, Júlia e Iana.  E Iana fez um vídeo também, com eles tocando e o baterista que acabou não participando porque machucou a mão.

Abbey Road: caminhando
5ª A
Os ídolos e as fãs

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

O discreto charme da burguesia




Joaninha, a DONA do blog (primeira à esquerda), Zepinga, e Leninha Bina (à direita), no aniversário de 15 anos de Júlia.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Impróprio para menores 1





Maria Creuza Rodrigues de Miranda, Quesinha, fazendo pose para Duran










Arquivo do blog