Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Pelo retorno do Dois de Julho no nome do aeroporto de Salvador





Com a proximidade das comemorações da Independência da Bahia e aproveitando o clima de maior atenção às “vozes da rua” - gerado pelas manifestações populares por melhorias e mudanças no país e nos estados -, os deputados federais baianos do PT, Waldenor Pereira e Luiz Alberto, estão se esforçando para incluir imediatamente na pauta de votação da Comissão da Comissão de Cultura da Câmara Federal o projeto de lei que devolve a denominação  Dois de Julho ao aeroporto internacional de Salvador.

O projeto de autoria de Luiz Alberto tramita há 11 anos na Câmara Federal e já teve três relatores.  O terceiro deles, Waldenor Pereira, chegou a ler o seu parecer favorável à mudança proposta, na Comissão de Educação e Cultura, quando mais uma vez o DEM usou de manobras regimentais para barrar a votação e pediu vistas do projeto. Ocorreu que esta comissão foi dividida neste ano, quando foi criada a Comissão de Cultura, onde a proposta do retorno do nome do aeroporto de Salvador passou a tramitar.

Como Pereira também é membro da nova Comissão de Cultura, já foi designado pela sua presidenta, deputada Jandira Feghali (PC do B/ RJ), para novamente relatar o PL nº 6.106, de 2002. “Eu e o deputado Luiz Alberto já nos reunimos com ela (Feghali) e solicitamos a votação imediata do projeto. A presidenta justificou que ainda não o incluiu na pauta porque a comissão está criando resolução que vai definir procedimentos para a apreciação das matérias dessa natureza”, informa o relator, que vê este momento de clamor popular como propício para pressionar pela votação do projeto.

Na defesa da aprovação do PL nº 6.106, de 2002, Pereira, em seu parecer, destaca que a aprovação do projeto resgatará o nome original do aeroporto de Salvador, instituído pela Lei nº 2.689, de 20 de dezembro de 1955, sendo permanecido por 43 anos, e que não se trata de desqualificar o homenageado atual. “Mesmo porque o nome do ex-deputado Luís Eduardo Magalhães já se encontra epigrafado em centenas de edifícios, estabelecimentos, logradouros públicos e localidades”, reforçou.


O relator pede a aprovação do projeto com argumentação lastreada na história e na cultura da Bahia. Ressalta que o dia 2 de Julho é a data magna do povo baiano e, não fosse pelas distorções longamente perpetradas por uma historiografia que exagera os feitos das elites e ignora o protagonismo do povo, certamente seria reconhecida e celebrada em todo o país como uma das datas de maior relevância entre as que comemoram o doloroso, mas também valoroso processo em que se forjou a nacionalidade. “Ocorre ainda que o 2 de Julho celebra a vitória de uma luta que foi ao mesmo tempo luta nacional e  popular”, defende o relator.


PS: O texto acima é um release da minha autoria, como assessora de imprensa do mandato de Waldenor Pereira, que tomei a ousadia de publicar aqui porque o nosso blog sempre empunhou esta bandeira e continua firme na defesa do resgate da homenagem ao povo baiano. Coincidentemente  o deputado assumiu a Relatoria do projeto. Veja nossas postagens anteriores:
E mais na minha página no Portal Luís Nassif:

2 comentários:

Jadson disse...

Companheira, note que a volta do nome do aeroporto para "2 de Julho" consta entre as reivindicações do Movimento Passe Livre - Salvador. São 20 itens referentes ao tema transporte público/mobilidade urbana e mais um - o 21o. - sobre o "aeroporto internacional 2 de julho".

Joana D'Arck disse...

Então Jadson, este é o momento para pressionarmos.

Arquivo do blog