Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Para rir com o Papa

 … QUANDO VIU A CHUVA SAIU CORRENDO PRA TIRAR AS ROUPAS DO VARAL.
… QUANDO VIU A CHUVA SAIU CORRENDO PRA TIRAR AS ROUPAS DO VARAL.

… PODIA ESTAR ROUBANDO OU MATANDO MAS SÓ ESTAVA TOCANDO FLAUTA EM TROCA DE ALGUNS CENTAVOS NO VÔO DA GOL.
… PODIA ESTAR ROUBANDO OU MATANDO MAS SÓ ESTAVA TOCANDO FLAUTA EM TROCA DE ALGUNS CENTAVOS NO VÔO DA GOL.

… PARTICIPOU DO JOGO DO TROCA COM DILMA E OS BARBIXAS.
… PARTICIPOU DO JOGO DO TROCA COM DILMA E OS BARBIXAS.

… DERRETEU A MOLDURA DO QUADRO E COMPROU 500 PACOTES DE BISCOITO BLOCO PRA PETISCAR COM OS PARCERO.
… DERRETEU A MOLDURA DO QUADRO E COMPROU 500 PACOTES DE BISCOITO BLOCO PRA PETISCAR COM OS PARCERO.

… FOI FLAGRADO PELO HELICÓPTERO DO TESTE DE FIDELIDADE A CAMINHO DA REDE TV PARA REVELAÇÃO BOMBÁSTICA.
… FOI FLAGRADO PELO HELICÓPTERO DO TESTE DE FIDELIDADE A CAMINHO DA REDE TV PARA REVELAÇÃO BOMBÁSTICA.

… CUMPRIMENTA AS INIMIGA.
… CUMPRIMENTA AS INIMIGA.

… FOI MESÁRIO NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES.
… FOI MESÁRIO NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES.

…HOMENAGEOU A ARTISTA CARLA PEREZ REPRESENTANDO A CENA MEMORÁVEL DO FILME CINDERELA BAIANA.
…HOMENAGEOU A ARTISTA CARLA PEREZ REPRESENTANDO A CENA MEMORÁVEL DO FILME CINDERELA BAIANA.

…AJUDOU O CEGO A PASSAR FRONTLINE NO ANIMALZINHO PET DELE.
…AJUDOU O CEGO A PASSAR FRONTLINE NO ANIMALZINHO PET DELE.

…VAI DE TREM PRA OSASCO TIRANDO UMA ONDA COM OS PARCERO.
…VAI DE TREM PRA OSASCO TIRANDO UMA ONDA COM OS PARCERO.

Mata Hari - Vocês precisam saber


(Do Blog do Além)

"Definitivamente, sou uma pessoa invejosa. Quando ouço falar em Snowden, fico pensando em todo esforço que fiz para adquirir fama ao longo de décadas. Já esse menino revelou um segredinho e se tornou uma febre mundial instantânea. Vocês têm ideia do que é passar a vida sem que nunca tenham vasculhado aviões de missões diplomáticas ou ameaçado países a sua procura? O máximo que fizeram foi acabar com meu show de dança javanesa em Paris.

Honestamente, não entendo. Muita gente acha grande coisa o acesso da NSA a toda essa informação revelada nas últimas semanas pelo Snowden. Eu digo a vocês o seguinte: difícil era conseguir informação na Primeira Guerra Mundial. Vocês têm ideia de com quantos homens tive que dormir para obter informações? Hoje, bastaria ter uma conta no gmail.

Acredito também que nós, espiões, deveríamos ser mais unidos. A concorrência é desleal. Ou nos unimos, ou vamos terminar como os jornalistas, virando uma espécie de “pjotinhas da divulgação”. Vocês têm ideia do que era ser espiã num tempo em que não existiam redes sociais? Hoje, posso saber o que você comeu, os lugares em que foi, o que leu, o que viu, o que curtiu, o que comprou. Tudo sem esforço. Exceto o de decorar as senhas do Instagram, Twitter, Facebook, Youtube, Pinterest e tal. É tanta informação disponível que dá até pra saber por quem você tá torcendo pra sair em A Fazenda.

Mas o que mais me deixa espantada é a aparente adesão dos brasileiros à vigilância dos EUA. Com a notícia de que o Brasil é vigiado, foi uma chuva de posts no Twitter e no Facebook. E sem cobranças: foi um tal de “Bom dia, Obama!”, “Boa noite, Obama!”. Apesar da ironia, todo mundo parece agir como se não tivesse nada a esconder e, portanto, merecesse um prêmio por bom comportamento. Um green card, por exemplo. Vocês têm ideia da afronta que isso representa pra mim? Mas deixa estar. Quero ver quando você descobrir que seu pai tem acesso àquelas fotos sensuais que você anda mandando pros casinhos. Aí é que teremos uma verdadeira crise institucional".

http://blogsdoalem.com.br/matahari/

terça-feira, 30 de julho de 2013

BEM-VINDO, PAPA FRANCISCO!

Sempre fico com um pé atrás com tudo que vem das Igrejas, por considerá-las alienantes, conservadoras e cruéis com seus fiéis e até  com os não seguidores que sofrem  as consequências de sua forte influência nas legislações e políticas públicas.  No caso da Igreja Católica, o poder de influência e dominação continua imbatível na maior parte do mundo, inclusive no Brasil, apesar de constitucionalmente declarado laico.

Por isso, fiquei com um pé atrás também com o Papa Francisco, apesar de ter gostado do nome que ele escolheu, em homenagem ao santo que para mim é mais simpático do catolicismo. Mas não deixei de me simpatizar com ele nesta visita ao Brasil, mesmo desconfiada do marketing da Igreja Católica, preocupada com o avanço das evangélicas sobre o seu rebanho. Se for só isso, age com muita competência, porque esse Papa novo nos surpreendeu com um discurso  revonador para o histórico recente do Papado. Achei legal seus gestos cativantes, tão próprios dos simples mortais,antes inimagináveis vindo de um pontífice, como fazer com as mãos o formato do coração na janela do avião para se expressar enquanto partia e o de colocar o cocar de índio por cima do sagrado solidéu quando foi presenteado pelo o índio pataxó Ubiraí.

Compartilho aqui o texto do Frei Betto em sua homenagem, publicado no jornal O Globo..


"Bem-vindo aos nossos corações, nos quais gravou seu cativante sorriso e a simplicidade tão rara naqueles que, como você, galgam os degraus do poder.

Bem-vinda a sua ousadia evangélica de entrar no Brasil como Jesus em Jerusalém: não montado no cavalo branco dos imperadores, equivalente hoje às limusines blindadas, e sim no "burrico" de um carro de classe média, com o vidro aberto, sem nojo do cheiro de povo nem temor da acolhida calorosa da população.

Bem-vindo este nome, Francisco, para nomear um papa. O santo de Assis rejeitou, nas origens do capitalismo, o sistema produtivo que gerava concentração de riquezas e exclusão social, e que teve em Bernardone, pai do jovem Francisco, um dos pioneiros.

Bem-vindo à opção pelos pobres, à denúncia da corrupção dentro e fora da Igreja, e da "globalização da indiferença" diante dos fluxos migratórios provocados pela miséria semeada na África pelo colonialismo europeu.
Bem-vindo ao "colocar mais água no feijão" de todos que, "comprometidos com a justiça social", não se cansam de "trabalhar por um mundo mais justo e solidário."

Bem-vindo, Francisco, ao grêmio de todos que combatem a "cultura do descartável" e, como você, acreditam que "a medida da grandeza de uma sociedade é dada pelo modo como esta trata os mais necessitados, que não têm outra coisa senão a sua pobreza."

Bem-vindo à Igreja "advogada da justiça e defensora dos pobres diante das intoleráveis desigualdades sociais e econômicas que clamam ao céu", como você enfatizou ao fazer eco ao Documento de Aparecida . Não mais uma Igreja que, sob o pretexto de "não se meter em política", se aninha à sombra dos ricos e poderosos, cala a voz de seus profetas, prega a cruz de Jesus mas se recusa a carregá-la por considerar difamações e perseguições uma maldição, e não uma bem-aventurança.

Bem-vindo à reforma da Igreja iniciada pela mudança que você imprime ao papado. Nada de arminho, cruz de ouro, sapatos vermelhos. "Acabou o carnaval!", você advertiu ao quererem vesti-lo como um príncipe. Nada de tratá-lo por Sua Santidade, Sumo Pontífice, Santo Padre, e sim apenas por papa, bispo de Roma, servo dos servos de Deus.

Bem-vindo, Francisco, à urgência de abrir os altares aos sacerdotes casados e às mulheres vocacionadas ao sacerdócio; e os sacramentos aos casais que contraíram segundas núpcias.

Bem-vindo às Comunidades Eclesiais de Base, que você tanto valorizou em Aparecida, em 2007, ao fim do 
celibato obrigatório, à abertura do debate sobre todos os temas atuais relacionados à teologia moral: preservativo, homossexualismo, aborto, pílula do dia seguinte, célula-tronco etc.

Bem-vindo à reforma da Cúria Romana e à sua iniciativa de nomear uma comissão de oito cardeais dos cinco continentes para assessorá-lo na profilaxia da Igreja. Queira Deus que sejam extintos o Banco do Vaticano, e também as nunciaturas apostólicas, de modo a valorizar, no espírito colegiado do Vaticano II, as conferências episcopais.

Bem-vindo, Francisco, a esse mundo globocolonizado que tanto necessita de um papa que seja expressão de Jesus e São Francisco: tolerante, amigo dos pobres, misericordioso, alegre, servidor da justiça, capaz de respeitar as diferenças religiosas e denunciar as causas das desigualdades sociais.
Deus o conserve e Francisco de Assis o encoraje!".

Fonte:O Globo

Cachaceiro que é cachaceiro é assim


domingo, 28 de julho de 2013

Carta/devaneio num domingo belorizontino



Uma foto um tanto fora de contexto, mas tem uma leve referência no final: jovens curtem rock na Praça da Democracia, em Assunção

Especial para o Pilha Pura:

Lucilla,

Você me pede na última carta que eu conte mais amiúde minhas andanças, diz que é “uma maneira de andar contigo”. Diz ainda que “estranhos escrúpulos” te impediram de abrir mais teu coração da última vez que estivemos juntos. Uma vontade de me acariciar, ganas de “não sei o quê”...

Te digo: fiquei emocionado. Uma espécie de amor assim tão desatualizado, talvez uma paixão contida pelos conceitos e preconceitos adequados aos românticos lá do século 19 ou inícios do século passado. Será?

Mas não te apoquente, temos muito tempo pela frente para, quem sabe? viver um grande amor (parece coisa do nosso Vinicius), ainda estamos relativamente jovens, o diabo é este “relativamente”, mas vamos em frente.

Desde aquela agitação, no meio daquela passeata, lá se vão uns três/quatro anos, lembra? quando apertei a tua mão, furtivamente, e você correspondeu, aquilo foi como um manancial de promessas e gozos adentrando corpo e alma, um estremecimento carnal/espiritual. Remocei pelo menos uns 15 anos.

O grande Honoré de Balzac dizia que o maior amor da vida dum homem não é o primeiro, e sim o último. Acho que é uma verdade, apesar do primeiro estar lá sempre pregado na parede da memória.

Gosto de citar isso, embora tenho para mim que nosso querido Balzac tenha sido muito mal sucedido em matéria de amores: pelo que contam, teve bastante êxito com umas coroas aristocráticas, mas babou a vida quase inteira atrás duma nobre russa. Quando conseguiu, finalmente, casar com ela, já estava morrendo com o estômago destruído de tanto tomar café para não dormir e escrever, escrever, escrever, uma obra monumental, no infindável afã de pagar dívidas contraídas bestamente.

Mas vou te contar uma andança aqui em BH, como me pede. Uma só. Foi ontem, sábado, passei pela Praça Carlos Chagas, pertinho daqui de Santo Agostinho onde estou morando, onde fica a Assembleia Legislativa. Topei uns 300 jovens ouvindo música, uns dançando, bebendo, farreando, apartados da overdose papal televisiva da Jornada Mundial da Juventude. Me infiltrei um pouco entre eles. Me contaram que fazem parte dum movimento chamado Hood Boss (desconfio que o nome não está correto, porque não localizei na Internet), dedicado à música jamaicana. Mas pelo menos enquanto estive por lá não escutavam/dançavam reggae.

Estranhei: “Parece mais rock, não?”, você sabe que sou um grande ignorante na matéria. Chequei com um coroa que parecia meio perdido por lá e com um jovem. Eles disseram “sim, mas antes estavam tocando reggae”. Todo sábado se encontram numa praça da cidade, informaram.

Me lembrei duma vez em Assunção, no centro da cidade (Praça da Democracia, guardei o nome na memória, também “democracia” no Paraguai após 35 anos de Stroessner, não dá pra esquecer). Foi lá por agosto/setembro/2009: um bocado de jovens, de camiseta preta, ouvindo rock, dançando rock, fumando maconha, uma beleza!

Ah! ia me esquecendo: esses “estranhos escrúpulos” dos quais  fala... É que você tem um defeito, um defeitinho, vamos dizer assim porque parece que estou meio apaixonado, é que você não é chegada à bebida alcoólica. Estão aí os tais escrúpulos, mas não fique chateada comigo, é só um defeitinho...

Beijos, Lucilla, até mais.       

PS: Desculpe, lamentável a falta duma foto de BH, é que tenho tido uma preguiça incrível de tirar foto. Lembra até um caso clássico do jornalismo baiano. Foi na cidade de Feira de Santana: um jornal feirense deu com destaque que o Fluminense do Rio de Janeiro sagrou-se campeão nacional. O editor, coitado (na época não havia a Internet), procurou uma foto do time pra ilustrar a edição e não conseguiu. Aí teve que apelar para a famosa criatividade jornalística: sapecou lá uma foto do Fluminense de Feira, com a legenda: “Este Fluminense aqui nunca vai ser campeão brasileiro”.

Jadson à moda mineira

Em mais uma temporada fora da Bahia o nosso correspondente Jadson Oliveira, dono do blog Evidentemente, agora está ligado na movimentação política no estado de Minas Gerais, de onde deve sair um dos concorrentes das próximas eleições presidenciais, o governador Aécio Neves (PSDB), o nosso jornalista blogueiro se instalou em  BH. De olho, sempre, nos movimentos sociais.

Saiu de Salvador à moda mineira, calado, sem alarde e despedidas. 
Vamos aguardar o que o nosso blogueiro vai nos contar aqui sobre essa nova experiência entre os  manos mineiros.
Evidentemente em evidência
Por onde andou








quarta-feira, 24 de julho de 2013

Poema em homenagem a Dominguinhos

A falta de você
 (Por Luís Otávio Borges)

A sanfona e seu poeta
Deixaram saudades em nossos corações.
“é Tão difícil ficar sem você ”...


A tradição de um povo sofrido
Com a alegria da simplicidade.
Transmitindo alento a tristeza,
Enternecendo corações enamorados.

O ritmo intenso dos teclados,
Causava arrepios nos sentimentos.

Era só fechar os olhos e viver
Era só abraçar o seu par e dançar
Era  só lembrar e chorar
“o teu amor é gostoso demais”...

Ontem, a lua cheia perdeu força,
Queria vim buscar o poeta.
A sanfona silenciou
Nossos momentos de alegria
Trouxe um lamento de um povo
Que por certo, transformará em musica
Que envolverá outros artistas
Que reproduzirá a sua semente.
Com um toque triste de amor.


terça-feira, 23 de julho de 2013

domingo, 21 de julho de 2013

Breve nos cinemas de Salvador e 29 cidades da Bahia: Cuíca de Santo Amaro


Depois de exibido em festivais de cinema no Brasil e no exterior, o filme documentário de longa metragem Cuíca de Santo Amaro – O poeta mais temido da Bahia entra em cartaz no dia 9 de agosto em salas de Salvador, no Shopping Iguatemi, no Circuito Sala de Arte e no Espaço Itaú Glauber Rocha. A partir do dia 15 de agosto até o final de novembro, o filme será exibido em  29 cidades do interior, cobrindo todas as regiões da Bahia.
O circuito no interior  começa no Teatro Dona Canô, em Santo Amaro. A programação, a partir das 18 horas do dia 09 de agosto, inclui o lançamento do DVD com cinco  extras e material pedagógico, lançamento do livro “A Verve de Cuíca”, recital de poesia popular e debate com os realizadores, num formato que será repetido no circuito alternativo de exibição de filmes em Centros de Cultura e  universidades como UFRB e UNEB.
O filme
O documentário, dirigido por Joel Almeida e Josias Pires, sintetiza a pesquisa realizada a partir de relatos orais de 50 pessoas que tiveram algum tipo de contato com Cuíca e de cerca 300 folhetos - os livrinhos de histórias, como foram chamados na sua época – e traz imagens de arquivos de Salvador e do Recôncavo. O filme utiliza também recursos de animação, inspirados num encontro do escritor Orígenes Lessa com o trovador repórter, ocorrida no dia 10 de junho de 1955.
Algumas das imagens de época pesquisadas eram inéditas, como trechos filmados sob a coordenação de Alceu Maynard de Araújo, em 1947, encontradas na Cinemateca, SP. O filme valeu-se particularmente dos estudos feitos por Edilene Matos, Mark Curran, de precisas indicações do poeta Carlos Cunha e de todos os que compartilharam suas memórias e sentimentos da época.
Mestre Vitorino
Concluído em janeiro de 2012, Cuíca  foi selecionado para o 17o. Festival Internacional de Documentários é Tudo Verdade (02 exibições no Rio de Janeiro e 02 em São Paulo); V Festival do Cine Latino-americano e Caribenho de Margarita (Venezuela); Festival Internacional de Cinema de Arquivo, Arquivo Nacional, RJ; 16a Mostra de Cinema de Tiradentes, MG; 3o. Cachoeira Doc; VIII Cine Futuro (avant-première em Salvador) e projeto Cinema no Telhado, Luanda Angola/Instituto Goethe.
Realizado com o patrocínio de edital do Programa Petrobras Cultural,  o filme teve o projeto de difusão e exibição na Bahia patrocinado pelo Fundo de Cultura do Estado, a partir de edital setorial do audiovisual de 2012 promovido pela Fundação Cultural /Secult.

Cuíca
Cuíca de Santo Amaro  nasceu José Gomes no dia 19 de março de 1907 , no bairro da Mouraria, segundo registro civil feito por ele próprio, já aos 50 anos de idade. Trovador maldito da poesia popular do Brasil, personagem controvertida, produz entre 1930 e 1963 cerca de mil títulos de livros de histórias, nome que dá aos folhetos que só depois passaram a ser conhecidos na Bahia como literatura de cordel. Morreu em 23 de janeiro de 1964.
É consagrado como o maior o trovador da Bahia por Jorge Amado, que faz dele  personagem dos romances Pastores da Noite e A morte e a morte de Quincas Berro D’Água e destaca seu trabalho no livro Bahia de Todos os Santos, guia de ruas e mistérios: "Cuíca de Santo Amaro é uma organização: escreve seus versos, manda imprimi-los, desenha ele mesmo os cartazes de propaganda que conduz sobre os ombros, vende folhetos com os poemas e canta os melhores versos para atrair a freguesia”
Cuíca inspira Dias Gomes a criar o personagem Dedé Cospe-Rima na peça de teatro que, reapresentada pelo cinema, leva Anselmo Duarte a ganhar a Palma de Ouro em Cannes, com o filme "O Pagador de Promessa (1962). No filme, Cuíca é vivido pelo ator Roberto Ferreira, que criou personagem famosa da Bahia de Cuíca, conhecida como Zé Coió. Um ano antes é o próprio Cuíca de Santo Amaro quem faz a abertura e encerra o filme "A Grande Feira" (1961), de Roberto Pires.

Ficha técnica
Direção – Joel de Almeida e Josias Pires
Produção Executiva – Adler Paz, Bau Carvalho e Lula Oliveira
Direção de Arte – Ian Sampaio
Montagem – Bau Carvalho
Direção de Produção – Luciana Freitas e Marise Berta
Direção de Fotografia – Paulo Hermida
Direção Musical – Tuzé de Abreu
Som direto – Rodrigo Alzueta e Napoleão Cunha
2012 – 75 minutos


sexta-feira, 19 de julho de 2013

A espionagem e a roda da história (para trás!?)

Ressuscitando!!!???
Li um dia desses na blogosfera (só pode ter sido na blogosfera porque em papel só leio hoje livro) que um brasileiro estava escrevendo um livro à mão por causa do medo de espionagem na Internet. Será possível? Fiquei matutando, uma loucura com esse festival de espionagem do império estadunidense, conhecido pelo mundo a partir das denúncias do ex-espião Snowden.

Logo depois vi uma notinha da primeira página do meu jornal predileto, o argentino Página/12. O mesmo fenômeno, reforçado por incluir a volta das nossas velhas e queridas (para nós, cinquentões e sessentões) máquinas de datilografia. E mais por partir de gente da velha e famosa KGB soviética/russa, gente acostumada a todo tipo de conspiração, violação e terrorismo, como o pessoal da sua similar CIA estadunidense.

Vai aí a tradução da notinha:

"As revelações do espião informático estadunidense Edward Snowden estão gerando uma revolução nos serviços de inteligência. Segundo o diário russo Izvestia, o Serviço Federal de Proteção, surgido da velha KGB, lançou uma licitação para a compra de vinte máquinas de escrever. “Do ponto de vista da segurança, todo tipo de comunicação eletrônica é vulnerável. Se pode captar qualquer informação dum computador. O meio mais primitivo se deve privilegiar: a mão humana ou a máquina de escrever”, afirmou o deputado e ex-diretor do FSB (ex-KGB) Nikolai Kovalev".

Um adendo en passant: o presidente da Rússia, Vladimir Putin (tinha sido, depois foi primeiro ministro e voltou a ser presidente), era quadro da temida KGB.

terça-feira, 16 de julho de 2013

Tarado de objetos infláveis é preso de novo

Edwin Tobergta, de 34 anos, cismou com um bote inflável, ficou numa fissura tão grande que saiu pela porta dos fundos da casa sem roupas, "fazendo ‘sexo’ com o objeto inflável”.  Dá pra imaginar, uma coisa dessas? Pois  a criatura foi flagrada pela vizinhança, em Hamilton, no estado de Ohio (EUA). Como próximo ao local havia muitas crianças, a polícia foi chamada pelos vizinhos e o tarado do bote foi preso. E pela segunda vez, em dois anos!
Segundo os sites “The Smoking Gun” e G1,   o  homem foi acusado de crime de atentado ao pudor e levado à cadeia do condado de Butler, com fiança estabelecida em R$ 50 mil.
Tobergta é conhecido por se envolver em episódios bizarros envolvendo objetos infláveis. Em 2002,  foi pego fazendo sexo com uma abóbora inflável, e também foi levado para a cadeia de Butler.

À NAÇÃO TRICOLOR DO PILHA



AOS TRICOLORES PEÇO O VOTO PARA NOSSA AMIGA JULIANA CARDOSO, CANDIDATA À MUSA DO BAHIA 2013. GENTE MUITO BOA!

domingo, 14 de julho de 2013

Waldir Pires emociona a juventude do Passe Livre


A galera do Passe Livre no maior barulho na audiência pública da Câmara (dia 11), ninguém se entendia, todos contra todos, rebeldia geral, parecia que cada político era um escroto em potencial. Desconfiança total...De repente, silêncio absoluto para ouvir a tranquilidade na voz do Dr. Waldir, do alto dos seus 86 anos.

 "É com muita alegria que vejo ressurgir as manifestações da juventude. No ano que vem completa meio século da interrupção da democracia no Brasil....com a ditadura a juventude habituou-se a não participar...". Foi aplaudido de pé, demoradamente.

Muito emocionante presenciar o silêncio respeitoso dos jovens, diante da experiência de um dos políticos mais dignos da nossa história, contra quem nunca vi ser provada nenhuma denúncia. Foi uma aula para muitos políticos e candidatos a políticos, de que não precisa gritar para convencer, para se fazer entender (mesmo que o movimento repudie os políticos, foi ao Legislativo que recorreu pedindo o debate da pauta de reivindicações. E não tenho dúvidas de que dele sairão futuros políticos). 

Que tenham aprendido um pouco... (tanto os novos quanto os manjados)

quarta-feira, 10 de julho de 2013

A nova onda é a dança do pombo




A dança encantou tanto um certo pilheiro, que ele vive  tentando pegar os passinhos. O problema maior é essa abaixadinha pra quem andava enferrujado.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Ingresso para show de Bibi Ferreira custa quase 500 reais

O site do Teatro Castro Alves anuncia a vinda de Bibi Ferreira a Salvador  para apresentar o seu espetáculo, "Bibi – Histórias e Canções”,  nos dias 26 e 27 de outubro na Sala Principal do TCA. Seria imperdível, porém está fora das condições do mortais assalariados que nem eu.

O valor ingresso:R$ 480 (inteira - filas A a V) e  R$ 300 (inteira - filas QW a Z11).  

Espero que os ricos de Salvador tenham bom gosto!


Arquivo do blog