Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Jovens da Sussuarana levam a valsa a sério


Domingo no Parque também é dia de treino sério.  Enquanto a banda Limusine se apresentava no anfiteatro do Parque da Cidade, no dia 23,  jovens do bairro de Nova Sussuarana ensaiavam passos de valsa  misturados com  balé e dança moderna para apresentação em festas de 15 anos .
Denise Silva, coordenadora do Embalos do Sonho de Valsa orienta os dançarinos do grupo criado há oito anos, que  hoje agrega quase 46 jovens, um trabalho social , que segundo ela é custeado com o que fatura das festas e com o apoio dos pais dos alunos.  "A nossa ideia surgiu para festas de 15 somente no bairro, onde o poder aquisitivo não é alto, e  depois virou uma proposta social, porque desperta o jovem para a dança, para a valsa".
 


domingo, 25 de agosto de 2013

Médicos cubanos: os humoristas se fartam com a histeria da direita

Reproduzido do blog Evidentemente

Charges pescadas na Internet

sábado, 24 de agosto de 2013

Música no Parque - Banda Limusine



Neste domingo às 11h,  tem a Banda Limusine, no Parque da Cidade.
É de grátis!
Com uma apresentação que mistura humor, performance e canções da Jovem Guarda, a Banda Limusine leva irreverência para o palco do projeto. Com os atores/cantores

Diogo Lopes Filho e Evelin Buchegger nos vocais, o show é embalado por sucessos da década de 1960 que se tornaram conhecidos nas vozes de artistas como Diana, Roberto Carlos, Celi Campelo, Ronnie Von e Perla.

Auxiliados pelas atrizes Luisa Prosérpio e Vanessa Mello como backings, levam para o palco o humor e a carga dramática inspirada por cada uma das canções do repertório. Performático e interativo, o público é instigado a participar, dançar e cantar junto com a banda.
Data e Horário

Domingo, 25 de agosto, 11:00

Local

Anfiteatro Dorival Caymmi

Parque da Cidade
Anfiteatro Dorival Caymmi - Itaigara


sexta-feira, 23 de agosto de 2013

CIRCUITO GUITARRA BAIANA – ANO IV: COM PEU SOUZA



 
O Circuito Guitarra Baiana - Ano IV vai 
fechar as apresentações das quintas-feiras do mês de agosto, no Teatro Sesc Senac Pelourinho, com a apresentação de Peu Souza, com  trabalhos autorais e execução de frevos trieletrizados e chorinhos com o seu bandolim,  mais uma contribuição para  continuar o legado deixado por Dodô e Osmar.

Aos que curtem boa música instrumental, é uma excelente pedida, e de graça!  Trata-se de mais uma atração quinzenal, sempre
, às quintas-feiras (20h),  do evento idealizado pelo músico instrumentista Julio Caldas, com o intuito de promover o trabalho de resgate histórico e valorização artística do conceito e sonoridade da guitarra baiana,.

O evento transgride a ideia de uma apreciação estética trivial e estática, na medida em que inova com a possibilidade de uma apresentação que estimula uma interação e uma co-participação do público em uma espécie de “workshow”. É nessa perspectiva vanguardista que os shows se tornam palco de oportunidades para explorar novas possibilidades musicais, onde o público pode  apreciar a evolução do instrumento eletrificado, popularmente chamado de “guitarra baiana”.

Dia: 29 de agosto
Horário: 20h
Entrada: Franca
Local: Teatro Sesc Senac Pelourinho
Classificação: livre
Duração: 90 minutos

Ficha Técnica:
Julio Caldas - Guitarra Baiana, Bandolim e Vocal
Claudio Diolu - Baixo
Uira Nogueira Cairo - Bateria
Washington Barreto - Teclado

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

As travessuras da vovó no trânsito


Não resisti de postar essa cartinha de uma vovó para o seu neto, porque  rir é sempre bom. Divirta-se.

"Querido neto,
Outro dia, tive uma experiência maravilhosa que quero compartilhar com você.

Fui à livraria cristã e ali encontrei um adesivo para o carro que dizia:


" SE AMA A DEUS, TOQUE A BUZINA" 

Como tive um dia bastante difícil, decidi comprar e colar no pára-choque do meu carro.


Ao sair, na hora do rush, a uma temperatura de 37 graus, cheguei a um cruzamento muito complicado, com muitos veículos.

Fiquei ali parada,  porque a luz estava vermelha, pensando no Senhor e nas coisas boas que dele tenho recebido.

Não percebi que a luz tinha ficado verde, mas descobri que há muitos que amam o Senhor, porque imediatamente começaram a buzinar ... Foi maravilhoso!

A pessoa que estava atrás de mim era, com certeza, muitíssima religiosa, porque tocava a buzina insistentemente e gritava:
"Pelo amor de Deus!" - Incentivados por ele, todos começaram a buzinar também. Eu lhes sorri e saudava com a mão pela janela, totalmente emocionada.

Vi que outro rapaz me acenava de uma maneira muito especial levantando só o dedo médio da mão.
Perguntei ao Beto, seu primo, que estava comigo, o que queria dizer aquele aceno.

Ele me respondeu que era uma "saudação hawaiana", de boa sorte!

Então, comecei a saudar a todos da mesma maneira.

O Beto estava muito feliz, rindo muito, imagino que, pela bela experiência religiosa que estava vivenciando.

Dois homens desceram de um carro e começaram a andar em nossa direção, acho que para rezar comigo, para me perguntar que igreja frequento, mas foi neste momento que vi que a luz estava verde.
Então, saudei a todos meus irmãos e irmãs e cruzei o semáforo.


Logo percebi que o único carro que havia passado era o meu, já que a luz voltou a ficar vermelha.
Me senti triste de deixá-los ali, depois de tanto amor que havíamos compartilhado.
Então parei, desci do carro e saudei a todos com a "saudação havaiana" pela última vez e me fui.

Agradeço a Deus por mais esta experiência maravilhosa que tive com todos esses bons homens e mulheres;

Beijos da sua avó.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Cuíca de Santo Amaro chega nesta sexta às salas de cinema de Salvador


Por sugestão dos exibidores, o filme documentário de longa metragem "Cuíca de Santo Amaro - O Poeta Mais Temido da Bahia" teve adiada a sua estreia nas salas de cinema de Salvador do dia 09 para o dia 23 (sexta-feira) de agosto. O filme ficará em cartaz numa sala do Shopping Center Iguatemi, no Espaço Itau de Cinema/Glauber Rocha e no Circuito Sala de Arte/Cinema da UFBA.

Antes do lançamento no circuito comercial, o filme iniciará a circulação por 29 cidades do interior, com o apoio da Secretaria de Cultura da Bahia/Fundo de Cultura. A primeira cidade que receberá o filme será Santo Amaro, na próxima quinta-feira (15), no Teatro Dona Canô, às 19h. No sábado (17), Cuíca de Santo Amaro será exibido em Cachoeira, no Auditório da UFRB, às 19h.

Na semana seguinte, o documentário será exibido em Santo Antonio de Jesus, na quarta-feira (21), no Auditório da UNEB; e no dia seguinte será exibido em Camaçari, no Teatro Alberto Martibs. Ambas as exibições às 19h. Dirigido por Joel de Almeida e Josias Pires, a produção do filme foi bancada pelo programa Petrobras Cultural.

Veja trailer e mais informações obre o filme 

domingo, 18 de agosto de 2013

Você está ON ou OFF?


Curta 169 filmes nacionais, online e de graça

(Compartilhando a dica do site Rede Catraca)

canal do youtube criado por Eduardo Carli de Moraes surpreendeu os navegantes da web nos últimos tempos com 80 filmes brasileiros completos para assistir online. Agora, vai surpreender ainda mais já que foram disponibilizados 169 filmes ao todo – totalmente gratuitos.
Filmes bons, raros, clássicos e necessários estão na lista: “O Cheiro do Ralo”, “O Bandido da Luz Vermelha”, “Cidade Baixa”, “Vidas Secas”, “Estamira”, “A Festa da Menina Morta”, “Batismo de Sangue”, entre muitos outros.
Aproveite para conectar seu computador na sua televisão para aproveitar os longas. Para isso, descubra qual é o tipo de saída do seu pc para o vídeo. Existem cinco delas: HDMI, DVI, S-VIDEO, S-VIDEO (com capacidade de Vídeo Componente) e VGA.
Agora é só preparar baldes e baldes de pipoca, se esparramar no sofá e dar playneste link. Bom filme. Ou melhor, bons filmes.


Dica nossa:

Policarpo Quaresma, o Herói do Brasil - Filme Completo


Enfim uma rua pra gente mandar certas pessoas


sábado, 17 de agosto de 2013

Já ganhou! Já ganhou!

 Disputando título de gincanistas do ano no Colégio da filhota. Insuperáveis!

O que é isso, ministro Barbosa?

Por Assis Ribeiro
O pau quebrou
O ministro Lewandowski demonstrou que o acordo para recebimento do dinheiro (pelo PL) foi em 2002, portanto na vigência de lei anterior (menos rilos Rodrigues foi condenado pelo crime de corrupção passiva pela lei posterior a de 2002, Barbosa se irritou .
Lewandowski demonstra que o acordão estava errado, e que a própria denúncia fala que a reunião foi em 2002.
Barbosa e Fux falam que o tema já tinha sido decidido, Lewandoswki apenas lembra a todos que embargos declaratórios servem exatamente para isso, para possibilitar reflexões quando houver na sentença ambiguidade, obscuridade, contradição ou omissão, e que decisões podem ser mudadas.
Barbosa afirma que a decisão foi unânime.
Lew pergunta para que servem os embargos
Barbosa diz que não servem para arrependimento de ministro.
Barbosa desqualifica Lew e diz que a Corte não pode perder tempo com chicana.
Lewandowski respondeu: "Chicana? Vossa Excelência está me acusando de fazer chicana? Peço que se retrate".
Barbosa diz: "Não vou me retratar".
O pau quebra e feio
Mais um episódio imperdível e lamentável.
Barbosa violentamente encerra a sessão.
Triste, muito triste
A continuar desta forma, na etapa dos Embargos Infringentes, que promete ser bem mais calorosa, os senhores ministros precisarão convocar para plantão o serviço médico , o corpo de bombeiros e quiçá alguns psiquiatras.


PS: Barbosa atacou o colega acusando-o de fazer "chincana", que no Jurídico quer dizer: dificuldade criada, no decorrer de um processo judicial, pela apresentação de um argumento com base em um detalhe ou ponto irrelevante; abuso dos recursos, sutilezas e formalidades da justiça; o próprio processo judicial (de forma pejorativa); contestação feita de má-fé; manobra capciosa, trapaça, tramóia.


PS2: Vale a pena ler os comentários postados no blog de nassif: http://www.advivo.com.br/node/1471148 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Tem rapariga aí?




‘Tem rapariga aí? Se tem, levante a mão!’. A maioria, as moças, levanta a mão. Diante de uma plateia de milhares de pessoas, quase todas muito jovens, pelo menos um terço de adolescentes, o vocalista da banda que se diz de forró utiliza uma de suas palavras prediletas (dele só não, e todas bandas do gênero). As outras são ‘gaia’, ‘cabaré’, e bebida em geral, com ênfase na cachaça. Esta cena aconteceu no ano passado, numa das cidades de destaque do agreste (mas se repete em qualquer uma onde estas bandas se apresentam). Nos anos 70, e provavelmente ainda nos anos 80, o vocalista teria dificuldades em deixar a cidade.
Pra uma matéria que escrevi no São João passado baixei algumas músicas bem representativas destas bandas. Não vou nem citar letras, porque este jornal é visto por leitores virtuais de família. Mas me arrisco a dizer alguns títulos, vamos lá: Calcinha no chão (Caviar com Rapadura), Zé Priquito (Duquinha), Fiel à putaria (Felipão Forró Moral), Chefe do puteiro (Aviões do forró), Mulher roleira (Saia Rodada), Mulher roleira a resposta (Forró Real), Chico Rola (Bonde do Forró), Banho de língua (Solteirões do Forró), Vou dá-lhe de cano de ferro (Forró Chacal), Dinheiro na mão, calcinha no chão (Saia Rodada), Sou viciado em putaria (Ferro na Boneca), Abre as pernas e dê uma sentadinha (Gaviões do forró), Tapa na cara, puxão no cabelo (Swing do forró). Esta é uma pequeníssima lista do repertório das bandas.
Porém o culpado desta ‘desculhambação’ não é culpa exatamente das bandas, ou dos empresários que as financiam, já que na grande parte delas, cantores, músicos e bailarinos são meros empregados do cara que investe no grupo. O buraco é mais embaixo. E aí faço um paralelo com o turbo folk, um subgênero musical que surgiu na antiga Iugoslávia, quando o país estava esfacelando- se. Dilacerado por guerras étnicas, em pleno governo do tresloucado Slobodan Milosevic surgiu o turbo folk, mistura de pop, com música regional sérvia e oriental. As estrelas da turbo folk vestiam-se como se vestem as vocalistas das bandas de ‘forró’, parafraseando Luiz Gonzaga, as blusas terminavam muito cedo, as saias e shortes começavam muito tarde. Numa entrevista ao jornal inglês The Guardian, o diretor do Centro de Estudos alternativos de Belgrado. Milan Nikolic, afirmou, em 2003, que o regime Milosevic incentivou uma música que destruiu o bom-gosto e relevou o primitivismo est tico. Pior, o glamour, a facilidade estética, pegou em cheio uma juventude que perdeu a crença nos políticos, nos valores morais de uma sociedade dominada pela máfia, que, por sua vez, dominava o governo.
Aqui o que se autodenomina ‘forró estilizado’ continua de vento em popa. Tomou o lugar do forró autêntico nos principais arraiais juninos do Nordeste. Sem falso moralismo, nem elitismo, um fenômeno lamentável, e merecedor de maior atenção. Quando um vocalista de uma banda de música popular, em plena praça pública, de uma grande cidade, com presença de autoridades competentes (e suas respectivas patroas) pergunta se tem ‘rapariga na plateia’, alguma coisa está fora de ordem. Quando canta uma canção (canção?!!!) que tem como tema uma transa de uma moça com dois rapazes (ao mesmo tempo), e o refrão é ‘É vou dá-lhe de cano de ferro/e toma cano de ferro!’, alguma coisa está muito doente. Sem esquecer que uma juventude cuja cabeça é feita por tal tipo de música é a que vai tomar as rédeas do poder daqui a alguns poucos anos.

Ariano Suassuna

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Saudades de Eliana

A "Quinta Sem Lei" ficou desfalcada a partir deste 12 de agosto de 2013, sem a companhia alegre de Eliana Correia Teixeira, uma das fiéis integrantes desse grupinho de amigas e colegas de trabalho que há quatro anos mantém a prática de se reunir para o happy hour, compartilhando histórias, "causos", desabafos e “abobrinhas”, animada por brindes e saideiras e/ou por alguma programação cultural,  tudo que ajuda fortalecer os nossos laços de amizade, o carinho e a admiração entre nós . Fica a imensa saudade dessa amigona guerreira, da admirável  profissional, séria, determinada, competente e incansável no trabalho, que  nos últimos sete anos se dedicou à Assessoria Parlamentar da enorme e eclética bancada da Maioria na Assembleia Legislativa da Bahia, onde ajudou os líderes do Governo, Waldenor Pereira (2007-2011) e Zé Neto, a partir de 2011, na  condução dos trabalhos em plenário e na comissões para apreciar os projetos. E fica o exemplo da mãe, que sempre que tinha oportunidade lambia as crias, contava as histórias de infância de Leila e Mara e de como hoje se tornaram mulheres e profissionais decididas e independentes, e da mulher de Rubem, o marido companheiro de todas as horas boas ou não, família que abraçamos e oferecemos o nosso apoio e solidariedade neste momento tão duro de separação, pelo menos aqui neste mundo, porque, existindo outros, certamente se encontrarão mais adiante.

Vai com Deus, amiga.



sexta-feira, 9 de agosto de 2013

TRAVESSIA: um show imperdível dos mineiros em Salvador

Quinta Sem com integrantes trupe mineira ( grupo Ponto de Partida)

 Quer começar a noite desta sexta-feira com tudo de bom, vá ao teatro Jorge Amado. Corra que ainda dá tempo para assistir ao espetáculo TRAVESSIA, da trupe mineira, em cartaz ontem e hoje, 08 e 09 de agosto. Eu, minhas amigas da Quinta Sem Lei e Armandinho Macedo fomos surpreendidos com a beleza do musical.


A foto não é nossa, mas Armandinho estava assim, feliz com tudo
 “É maravilhoso. Adorei os vocais. Fiquei surpreso com tudo. Eu vim aqui principalmente para ver o meu amigo e grande músico,  Gilvan de Oliveira”, declarou Armandinho Macedo, exclusivamente para o Pilha, interrompido pelo amigo mineiro que desceu do palco para abraçá-lo ao final do show. Gilvan Oliveira é violonista, cantor, compositor, professor, arranjador e diretor musical, que trabalhou com muitos dos principais músicos mineiros, como Milton Nascimento, Paulinho Pedra Azul e Tavinho Moura.

Há mais de 20 anos em cartaz, “Travessia” já se apresentou em centenas de cidades brasileiras e também na África e Europa, tornando-se o espetáculo mais assistido da trupe. E só agora veio a Salvador!


O violonista Gilvan Oliveira emociona
Em sua passagem por Paris, foi aclamado como “um espaço mágico onde o público e os artistas celebram a vida”, pois Travessia não é apenas um show e também não é teatro. É uma mistura saborosa que leva o espectador por uma viagem. Ele conta a história do trabalho, da luta e da festa do povo brasileiro e faz um passeio por nossa música em grande companhia: Villa Lobos, Tom Jobim, Chico Buarque, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Elomar, Gonzaguinha...

“Travessia” é música encenada, é o som formalizado em imagens.
Às vezes a música é o texto dramático, às vezes, apenas o ritmo é o condutor e, às vezes, ainda a cena determina a música. Em todas essas formas, quase sempre, o resultado é surpreendente.

Em “Travessia”, o Grupo Ponto de Partida continua sua pesquisa de linguagem em que o ator é o centro da encenação. Ele canta, dança, interpreta, empresta seu corpo para desenhar o espetáculo. O palco está nu e os elementos de cena tanto são signos para leitura do espetáculo, como instrumentos de percussão.
“Travessia”, além de apresentar-se em várias cidades brasileiras, tem uma carreira essencialmente internacional, com temporadas na África, na América Latina e na Europa. É um espetáculo que tem o jeito e o cheiro do Brasil. Que ritualiza nossa alegria,brinca com nossos ritmos. Que está desenhado com nossa negritude e nossa latinidade.


GRUPO PONTO DE PARTIDA

Com 32 anos de trajetória, o Grupo Ponto de Partida estabeleceu-se como uma referência na investigação teatral. Pesquisou e desenvolveu uma linguagem única para musicais brasileiros e construiu uma dramaturgia inédita a partir da obra de autores como Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade, Jorge Amado, Manoel de Barros, Adélia Prado, Bartolomeu Campos de Queirós e compositores como Milton Nascimento e Chico Buarque. O grupo formou-se tecnicamente com os principais nomes do país – Fernanda Montenegro, Sérgio Britto, Cacá Carvalho, Jorginho de Carvalho, Babaya, Gilvan de Oliveira, para citar alguns. E é também o responsável pela criação e coordenação dos projetos Coro Meninos de Araçuaí, Bituca: Universidade de Música Popular e Corredor Cultural Ponto de Partida.

Fonte: Pilha Pura e assessoria da Vivo, patrocinadora do evento



segunda-feira, 5 de agosto de 2013

sábado, 3 de agosto de 2013

Show de serenata



 Avô e neto tocando juntos. A belíssima pérola é uma sugestão de Elcie Quadros para o nosso Pilha. Curtam.

Arquivo do blog