Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

"Tentando chegar na Barra" fica no Rio Vermelho

Foto: Simoa Borba 

Diante das dificuldade para ver atrações da programação de Carnaval na Barra, circuito tomado por mega-camarotes, apinhado de gente e de difícil acesso a um transporte, exigindo longas caminhadas dos foliões exaustos no retorno pra casa, muita gente tem optado pela programação alternativa nos bairros. E foi o que aconteceu ontem (quarta) com o grupo da foto, que preferiu curtir o pré-carnaval na praça Ari Barroso, animado por  Waltinho Queiroz e Sílvia Patrícia, entre outros.  Lançado aí, portanto, o novo bloco "Tentando chegar na Barra".  
Foto de Nilson Galvão

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Elton John arrasa no Rio Vermelho

Com um desfile ainda mais bonito do que nos anos anteriores o Bloco Palhaços do Rio Vermelho arrastou uma verdadeira multidão pelas ruas do bairro. Infelizmente, mais uma vez a Transalvador não apareceu ficando por conta dos Policias da 12 CIPM a tarefa de disciplinar o trânsito para garantir a passagem do bloco. A animação foi tanta que até o cantor Elton John, antes de seguir para a Arena Itaipava para fazer o seu show, apareceu para dar o ar de sua graça ao lado do Rei Márcio Mello. Confira como foi a festa. (Reproduzido do Blog do rio Vermelho



sábado, 15 de fevereiro de 2014

Tardes de domingo com Rita Tavares em Canções que o amor nos rendeu

Na tarde deste domingo, 16,  às 17h, uma segunda chance para curtir o show "Canções que o amor nos rendeu", de Rita Tavares, acompanhada de uma banda formada por músicos de primeira, como Paulo Mutti, Ivan Bastos e Sebastian Notini, e as especialíssimas participações de Jana Vasconcellos, Priscila Magalhães e Ray Gouveia e ainda um belíssimo por do sol na Gamboa.

O show estreado dia 5 passado ainda terá outra apresentação no dia 23 próximo, no Teatro Gamboa Nova (Rua Gamboa de Cima - Largo dos Aflitos).

 Ingressos a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

História de pescador: Zé Sinva lança Bíblia inédita

Já está nas bancas a BIBLIA DO PESCADOR 2014. São 340 páginas com o tema peixes e equipamentos, incluindo mais de 60 espécies de água doce e salgada e os materiais indicados para pescá-las nas principais modalidades e (claro!) muitas histórias de pescaria. O editor, Zé Sinva,  pede perdão pelo atraso e espera que seja do agrado do público leitor.

O cara é tão fera na pesca que consegue fisgar até esses fenômenos

Zé Sinva ( com o amigo pescador Artigo) praticando o que mais sabe e gosta de fazer depois do jornalismo

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Apareceu a verdade: a Dra. Ramona montou uma farsa para encontrar namorado em Miami


6 de fevereiro de 2014 | 07:53 Autor: Fernando Brito
 
A Dra. Ramona Matos Rodrigues tem o direito de querer viver com o namorado em Miami.
Isso é um problema dela com as autoridades de seu país e não nos cabe, a brasileiros, darmos palpite sobre as regras cubanas de emigração, que, atualmente, só restringem a saída de médicos, cientistas e militares. Os Estados Unidos restringem a entrada em seu país e volta e meia vemos cenas dantescas com dezenas de “chicanos” mortos em vagões de trem enquanto tentam entrar no “eldorado” americano e ninguém diz que, com isso, os EUA ferem a liberdade de ir e vir.
Mas a Dra. Ramona não tem o direito de ludibriar a boa-fé do povo brasileiro montando uma história farsesca sobre as razões de sua tentativa de fuga para Miami.

Folha, hoje, revela o suficiente da história para que compreendamos que, como disse Janio de Freitas, esta história “vá dar rumba”.

A Dra. Ramona se aproveitou da simpatia que lhe teve uma senhora, prestadora de serviços ao “Mais Médicos” para encontrar acolhida em Brasília. Dizia sentir-se só e foi recebida por ela em sua casa, num rasgo de solidariedade.
Depois de um final de semana, como planejado, foi à embaixada americana pedir para ser “abduzida” àquele país, para surpresa da amiga que, então, disse que para isso sua casa não era abrigo.

Então a Dra. Ramona montou sua pequena farsa, com a ajuda providencial do deputado Caiado, que critica a “escravidão médica” de Cuba, mas é contra a abolição da escravatura “de peão” proposta na PEC do trabalho escravo.
Aí veio a cantilena sobre o “fui enganada”, etc, etc, etc…
A Dra. Ramona usou o congresso e a imprensa brasileira como palco e platéia de seu “teatro”, sem nenhum pudor.

E os usou porque sabe que, neste país, existe um sistema de comunicação que a transformaria em “heroína” quando é apenas uma pessoa que mente por seus interesses, em lugar de proclamar e lutar por seus direitos abertamente.
O que, no Brasil, ninguém duvida, poderia ter feito.

Mas a Dra. Ramona foi contratada por nosso país para atender doentes, não para se portar como uma transtornada – que seja, concedamos a generosa possibilidade – por um amor na Flórida que a leve a mentir na sede do parlamento, diante de toda a imprensa.
Porque, para esta fila de “vistos” americanos, tem muito brasileiro na frente dela, que sequer vai receber os gordos subsídios que o Governo americano dá aos médicos cubanos dispostos a expatriar-se.

Ao contrário, se pagassem metade do que paga o Mais Médicos, muitos médicos brasileiros estariam nessa fila, porque Miami, para eles, é lugar de gente.
Pacajás, no Pará, não.

Aliás, nada impediria o namorado da Dra. Ramona, se é tão grande este amor, vir para cá.
Talvez o que o impeça seja, apenas, Miami.
Mas isso é um problema privado do casal.
E esse é o pecado imperdoável da Dra. Ramona: transformar os seus quereres pessoais em um caso político em país alheio.

PS. Desde ontem, no início da tarde, havia essa informação. Como não havia confirmação, não publicamos. Correr o risco da mentira era agir sem dignidade. Coisa que a Dra. Ramona não fez com a opinião pública brasileira.


terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Quando será o dia da minha sorte?

Ainda esperando o Lada que escolhi quando fiz o meu consórcio. 

Arquivo do blog