Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Joana D'Água





JoanaD'Água gosta de defumar a imagem alheia, mas o governo paralelo do blog, após reunião de três horas na manhã desta sexta, ponderou que é hora da reação. No flagrante a dona do blog tenta se levantar após um dia de acirrada investida sobre copos e garrafas de cerveja e folha podre. O fato deu-se na casa do saudoso jornalista Rêmulo Pastore em Berlinque, Ilha de Itaparica. Por volta de sete da noite daquele verão de 89, Joana, sentada na balaustrada da varanda, empunhando um copo de cerveja virou-se para o mesmo e sentenciou : "Lagarte-ei miserável, Lagarte-ei, larga... lagarto...lagarrrrtirei desgraça..." repetia sem conseguir acertar a palavra. Foi aí que tomada de uma repentina tontura desequilibrou e tombou de costas sobre as plantas do jardim, de onde só saiu com auxílio dos presentes.

6 comentários:

deta disse...

Arapinga, se vc quer desmoralizar a minha comadre arranje outra prova pq essa não cola não.

Joana D'Arck disse...

Isso é invenção de bebum. Só uma coisa aí é verdadeira: quem caiu da balaustrada da casa de Rêmulo foi Beto ( Alberto Freitas), depois de tomar todas na praia e esperar uma moqueca de peixe feita por Carmelinha.

Joana D'Arck disse...

E por falar em queda de bebum, quem sabe do sufoco que passou foi dona Maira, quando Arapinga despencou do banco da varanda de sua mansão e caiu na área da piscina. Isso sim, foi um Deus nos Acuda!

Mônica Bichara disse...

Esse Arapinga passou das medidas, Jojô.
Só por isso vou lembrar um causo dele que tá documentado, só não lembro onde estão as fotos: em Lençóis, num São João que passamos lá com Irepinga, fomos à Prainha e Araka foi atacado por um monte de sanguessuga. A bermuda dele ficou impesteada e o jeito foi botar o bundão pra cima pra Irecê catar os bicho com um graveto. A cena mais ridícula que já vi kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk procure a foto na internet, Jô. Dê o troco

Joana D'Arck disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk... essa aí realmente me vingou comadre. Fico em cólicas de riso só de imaginar a cena de Irecê catando os bichos na bunda de Irepinga kkkkkkkkkkkk

Léa disse...

Joaninha, não acrdedito nessa estória (com E mesmo),vc não faria uma coisa dessas, claro que vc toma umas e outras, mas perder a pose, jamais!!!!rsrsrsrs
Beijo.

Arquivo do blog