Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O dia em que reneguei meu próprio filho


Carmela Talento

Nos dias de plantão, que no jornal geralmente era sábado à tarde, sempre levava um dos meus filhos, porque era folga da babá e minha mãe não tinha a mínima condição de ficar sozinha com três crianças. Com mais frequência carregava Bruno, por ser o mais velho e também o mais danado. Os plantões de um modo geral eram tranquilos e ele gostava de ficar na redação.

Numa dessas tardes recebi uma pauta da homenagem que o Bloco Os Corujas prestaria a Maria Bethânia. Eu repórter, Paulo Mocofaia, fotógrafo, e Bruno, (na época com quatro ou cinco anos) a tira colo seguimos para fazer a tal cobertura. De antemão já dava para prever que com um trio desses, boa coisa não podia se esperar.

Chegamos à sede da agremiação carnavalesca e tocamos a esperar a estrela. Bruno correndo de um lado para o outro, já tinha explorado tudo que estava a seu alcance, começou a ficar impaciente querendo ir embora. Tentei explicar que só sairíamos depois da homenagem dos Corujas. Não sei bem o que ele entendeu. O fato é que quando avistou no corredor Maria Bethânia entrando com aquela cabeleira e seguida de pessoas que a aplaudiam, não fez por menos: Borá a coruja já chegou! Gritou em voz alta. Saia justíssima, virei para Mocofaia e na maior cara de pau perguntei: esse menino está com você? A resposta foi imediata, é seu filho! Vexame total.

Nem sei se Mocofaia se lembra desse fato, mas é uma das lembranças do jornal que ainda hoje me faz rir muito.

9 comentários:

Arapinga disse...

Tá vendo aí como as coisas são. Outro dia vi uma entrevista dela dizendo que detestava o entardecer, que se sentia mal etc. E que tinha grande admiração pelas corujas. Bruno tava certo. Ela é da família. Veja a cara de Dona Canô e de Rodrigo.

Joana D'Arck disse...

E Mocofaia foi logo tirando da reta e entregando a colega. Mui amigo esse aí.

rafael disse...

E a cantora escutou a ''homenagem''?rrs

deta disse...

Adorei essa Carmelita.
O bom das crianças é que elas são espontâneas.
Bj.

Mônica Bichara disse...

Essa eu não esqueço, Carmelinha, p/q vc vivia contando. Esse Bruno sempre foi uma pestinha mesmo. Muito bom

Carmela disse...

Quem vê Bruno hoje todo compenetrado não faz ideia do danado que foi na infância. Na próximo mês, em homenagem ao Dai das Crianças , vou contar o que ele aprontou no julgamento da greve dos jornalista, isso, no tempo em que a categoria fazia greve, coisa do século passado. Acho que Monica também vai lembra dessa.

Carmela disse...

Errei
Onde tem "na" mes, leia-se no mes.Por falar em mês o acento foi abolido ou permanece?

Jadson disse...

Permanece, Carmelita.

Dalmo Lemos disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKK...Carmela, me poquei de rir com a "cara de coruja"! essas crianças! kkkk. Detonam na cara mesmo!

Arquivo do blog