Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Para relaxar e desacelerar nesta sexta-feira


Mônica Bichara comentou no meu texto sobre coisas de baianos, postado ontem, dizendo que também passa por sufoco no ponto de ônibus, típico de pobre. Resolvi postar esse e-mail que recebi, muito divertido.



Tomar cerveja em copo de requeijão.





Esquentar a ponta da bic para ver se ela volta a funcionar.





Andar pendurado na porta do ônibus.





Lamber a tampa metálica do iogurte.





Colocar bombril na antena da televisão.





Colocar sunga, maiô ou biquíni e tomar sol na laje ou atrás da casa.





Correr atrás do guarda-sol na praia, gritando: “pega, pega”.





Entrar de loja em loja olhando os preços e dizer ao vendedor:



“Só estou dando uma olhadinha”.





Ir ao estádio de futebol, entrar na geral e pular para as cadeiras



numeradas.





Fazer jogo de futebol com times camisa e sem camisa.





Ficar balançando lâmpada queimada para ver se ela volta a



funcionar.





Ir para o trabalho de bicicleta e dizer que é para entrar em forma.





Aproveitar garrafas plásticas de refrigerante e colocar água na



geladeira.





Acender latinha com álcool no banheiro nos dias frios.



Secar tênis atrás da geladeira.





Receber visita e mostrar a casa toda.





Decorar vaso com flor de plástico.





Guardar refrigerante com uma colher na boca para não perder



o gás.





Comprar carro novo e não tirar o plástico do banco só para dizer



que é novo.





Amarrar cachorro com fio de luz.





Lamber a ponta da borracha para apagar o erro.





Usar pregador de roupa para fechar sacos de arroz, açúcar,



macarrão, etc...





Jogar algodão na árvore de natal para dar efeito de neve.



Passar cuspe no cotovelo para amaciar.





Guardar sobras de sabonete para fazer uma bola só.





Convidar amigos para um churrasco no seu aniversário e mandar



cada um levar uma coisa.





Consertar tira de sandália havaiana com grampeador.





Enfeitar a estante da sala com lembranças de casamento.





Passar fio dental e depois cheirar para ver se o dente está com mau



cheiro.





Tirar cera do ouvido com a chave do carro ou com a tampa da



caneta.





Fazer a barra da calça com fita crepe.





Sair correndo para pegar um ônibus que já está saindo do ponto.





Subir na laje para mexer na antena e ficar gritando: “Melhorou?”.





Guardar cueca velha para passar cera no carro.





Ir ao restaurante e antes de fazer o pedido perguntar se aceita



ticket.



Fala sério...





Vai dizer que você nunca fez uma dessas???



7 comentários:

André Avelino disse...

Já fiz boa parte dessas coisas. Qual é o percentual pra ser considerado um pobre irremediável?

Joana D'Arck disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joana D'Arck disse...

Desculpe, removi o comentário anterior porque hoje o teclado não está me obedecendo direito. Mas eu dizia:

Pois é André, o mais engraçado disso é que a gente sempre se identifica com quase tudo. Acho que também sou uma pobretona irremediável.

Mônica Bichara disse...

Uma dessas? Fiz quase tudo. Correr atrás do buzão, então............... Clara fica pirada comigo quando corro pra pegar ônibus. Poooooooooooobre!!!!!!

E passar o cabo da escova bem forte no tubo da pasta de dente pra aproveitar aquele tiquinho que ficou lá dentro? Vai dizer que nunca fez???????

Anônimo disse...

BATER NUM GUARDANAPO DE PANO--SO P/ O VISNHO PENSAR QUE ESTA BATENDO BIFE..

irineuanselmo@hotmail.com disse...

MESTRE IRINEU--BATER NUM GUARDANAPO DE PANO--SO P/ O VISINHO PENSAR QUE ESTA BATENDO BIFE..

irineuanselmo@hotmail.com disse...

COLOCAR UNS 3 LITROS DE COCA CHEINHO D'AGUA--AO LADO DO RELOGIO DA FORÇA ELETRICA--P/ ECONOMIZAR ELETRECIDADE...

Arquivo do blog