Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Aguaceiro que não pára!

Ninguém aguenta mais tanta chuva. E a gente que pensava que a tal frente fria só provocaria estragos até domingo passado? Pois podem tirar o cavalinho da chuva  e tudo mais o que conseguir (inclusive a chapinha), porque o serviço de metereologia já avisou que é pra esperar mais água amanhã e depois. Diz que domingo vai fazer um solzinho com chuvas alternadas e trovoadas (afe!)

Enquanto isso a cidade vira um caos, com crianças morrendo (foto de Fernando Amorim/A Tarde,  ao lado, mostra desabamento em Vila Canária, onde morreram os meninos Pablo,2 anos, e Gabriel, 6 anos )  e adultos desaparecendo  em deslizamentos de terra, além de outros transtornos como queda de árvores (prestem atenção por onde andam, ontem à noite um cara escapou de morrer, perto do bar de Bahia, quando ouviu o estalo e brecou o carro. Era uma árvore que caía bem perto dele), trânsito travado, carros inundados, queda de energia em diveros pontos, etc . A prefeitura pede pra ninguém sair  desnecessariamente, mas isso é complicado.




Não dá para faltar ao trabalho, apesar de ficar sem a empregada que está ilhada pelas bandas da Itinga; e nem para levar criança nessas condições para o serviço. E por falar nisso, a nossa colaboradora Mônica Bichara passou por um sufoco ontem à noite, retornando do trabalho para Lauro de Freitas, onde o rio transbordou e inundou as ruas (foto à esquerda). Ela teve que atravessar ruas com a água batendo na altura do joelho.

Tá vendo aí, Araka? Não queremos ser cariocas e os estragos daqui não se comparam com os de lá (ainda bem!). Mas a chuva chegou arrembentando para nós também. Queria saber como é que fica o ex-ministro Geddel, que não mandou dinheiro para o Rio de Janeiro e agora  a dinheirama que jogou aqui (R$ 17 milhões),  no canal do Imbuí não eliminou os alagamentos na área. Taí a foto de A tarde para comprovar.


2 comentários:

Carmela disse...

Poxa Monica, Moema estava oferecendo barco para fazer a travessia.Você não precisava ter passado por esse sufoco.

Mônica Bichara disse...

Pois é, Carmelinha! Não deu tempo de pedir socorro a Moema, mas na minha rua e em casa graças a Deus correu tudo bem - o brabo foi chegar na minha rua.
Foi a chuva carioca que mandaram pra cá. beijocas

Arquivo do blog