Quem somos

Quem somos
O blog de Joana D'Arck e pilheiros

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Sala lotada na pré-estreia do Guitarra Baiana





As guitarras dos irmãos Armandinho e Aroldo Macedo se juntaram à guiban (mistura de guitarra com bandolim) de Fred Menendez, em plena Praça Castro Alves, na noite de quarta-feira (21), para comemorar o sucesso da pré-estreia do filme Guitarra Baiana – A Voz do Carnaval, primeiro longa do cineasta baiano Daniel Talento. O público lotou a sala 1 do Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha. Não deu para quem quis e muitos tiveram que voltar para casa sem assistir ao filme, que em breve entrará em circuito comercial (ainda não está definida a temporada).
Hoje (22) é o aniversário de Armandinho, mas o presente ele ganhou na véspera, com direito a “parabéns pra você” cantado pela platéia. Emocionado, ele disse que o documentário Guitarra Baiana traduz com fidelidade a história da criação do instrumento, que se confunde com sua própria carreira. O “pau elétrico” inventado pela dupla Dodô e Osmar há 70 anos é reverenciado na telona por vários artistas de destaque no cenário nacional, por ter revelado uma sonoridade genuinamente brasileira. E baiana, claro.
Além dos cantores e compositores Caetano Veloso e Moraes Moreira, e dos irmãos Macedo, falam Luiz Caldas, Morotó Slim, Durval Lélys, Missinho, Júlio Caldas e Fred Menendez, além dos maestros Spok e Fred Dantas.
Após a exibição do filme, foi a vez da guitarra baiana se mostrar por inteira, ao vivo e à cores, justamente no palco dos memoráveis encontros de trios, a Praça Castro Alves. O Rixô Elétrico, de Fred Menendez, deu uma pequena mostra do som contagiante da guitarra baiana, botando o público para dançar ao som de sucessos como “Atrás do trio elétrico”, “Viva Dodô e Osmar”, “Pombo Correio” e o Hino do Bahia (este último para delírio do tricolor Daniel Talento).
Ninguém se importou com a chuva, nem muito menos com o tal de “fenômeno da microfonia”, dançando até o último acorde da guitarra. Daniel Talento vibrou com a realização do sonho de estrear o filme em sua terra, a terra dos inventores do instrumento, num clima de altíssimo astral. Afinal, o Guitarra Baiana faz parte de um projeto maior de resgate da história da dupla que também criou o trio elétrico, que envolve o longa de ficção “Dodô e Osmar – A invenção do Carnaval Popular da Bahia”.

















Ficha técnica

Além de Daniel Talento a equipe de produção do filme é formada por Carolina Migoya (roteiro), Petrus Pires (fotografia), Rógerson Cunha (produção), Rickson Bala (som direto), João Lins (edição), Bob Bastos (mixagem e trilha), Fernando Sequeira (colorista), Ricardo Rama e Kátia Campos (produção executiva).

5 comentários:

Joana D'Arck disse...

Bela reportagem Bichara. Vai ganhar aumento.

Mônica Bichara disse...

Uhuuuuuu!!!! Tô precisando mesmo, meu salário milionário já tá defasado

Everton disse...

Bacana o texto Mônica, pena eu não ter ido assistir o Doc. mas vai rolar outra oportunidade. Abraço

P.S. Jô, quero aumento tb. rsrs

Joana D'Arck disse...

Cara de pau! Mal chegou e já quer aumento!

Mônica Bichara disse...

Valeu, Everton! Foi muito bom mesmo o documentário, mas não vai faltar oportunidade pq o filme vai entrar em circuito comercial. Em breve...

Quanto à cara de pau, concordo com a chefia.

Se você não sabe, fui contratada como âncora do Pilha, daí o salário milionário... Faça por merecer primeiro, tá muito ausente

Arquivo do blog